Herdeira da Europa, nação americana. História, literatura e construção da nação no Brasil imperial

Ana Priscila de Sousa Sá

Resumo


Um dos maiores artífices de uma narrativa histórica sobre o Brasil no século XIX, na obra de Francisco Adolfo de Varnhagen o Império apareceu como herdeiro da civilização europeia e símbolo desta no continente americano. Membro do corpo diplomático imperial, escreveu sobre seu país de nascimento com os pés na Europa, onde permaneceu quase a vida inteira, e os olhos na América. O artigo discutiu como esses temas foram tratados na obra varnhageniana e de outros letrados como Januário da Cunha Barbosa e Gonçalves de Magalhães, enfocando a história e a literatura como instrumentos de construção da nação brasileira.

Palavras-chave


Varnhagen, Nação, Civilização, Império do Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Valdei Lopes de. A experiência do tempo: conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1813-1845). São Paulo: Aderaldo &Rothschild, 2008.

ARAUJO,Valdei Lopes de. As transformações nos conceitos de literatura e história no Brasil: rupturas e descontinuidades (1830-1840). SÆculum – Revista de História, João Pessoa, n. 20, jan./ jun. 2009.

ARAUJO, Valdei Lopes. História da historiografia como analítica da historicidade.História da historiografia, Ouro Preto, n. 12, ago. 2013.

ASSIS, Machado de. Instinto de nacionalidade. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/355080/mod_resource/content/1/machado.%20instinto%20de%20nacionalidade.pdf. Acesso em: 20 mai. 2018.

BARBOSA, Januário da Cunha. Parnaso Brasileiro. TOMO I. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 1999.

CAIRO, Luiz Roberto. Varnhagen e o instinto de americanidade da literatura brasileira. Vidya, Santa Maria, p. 85-90, jul./dez. 2000.

CANDIDO, Wesley Roberto. Americanidade: a busca de um conceito. In: CANDIDO,Wesley Roberto. José de Alencar: “sou americano para o que der e vier”. Tese (Doutorado em Letras) - Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, 2010.

CÂNDIDO, Antônio. O Romantismo no Brasil. São Paulo: Humanistas FFLCH/USP, 2002.

CENTRO DE HISTÓRIA E DOCUMENTAÇÃO DIPLOMÁTICA. A missão Varnhagen nas Repúblicas do Pacífico: 1863-1867. v. 1. Rio de Janeiro: CHDD; Brasília: FUNAG, 2005.

CEZAR, Temístocles. Presentismo, memória e poesia. Noções da escrita da história no Brasil oitocentista. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy (Org.). Escrita, linguagem, objetos: leituras de história cultura. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

CEZAR, Temístocles. Ser historiador no século XIX: o caso Varnhagen. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

CEZAR, Temístocles. O que fabrica o historiador quando faz história, hoje? Ensaio sobre a crença na história (Brasil séculos XIX-XXI). Rev. antropol., São Paulo, v. 61, n. 2, p. 78-95, 2018.

COLEÇÃO DAS LEIS DO IMPÉRIO DO BRASIL DE 1824. Constituição Política do Império do Brasil (25 de março de 1824). PARTE I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1886.

DE CERTEAU, Michel. A escrita da História. Rio de Janeiro: Forense, 1982.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. v. 1. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

GONTIJO, Rebeca. História e historiografia nas cartas de Capistrano de Abreu. História, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 159-185, 2005.

JASMIN, Marcelo Gantus. Tocqueville, a Providência e a História. Disponível em: http://rubi.casaruibarbosa.gov.br/bitstream/fcrb/455/3/Jasmin%2c%20Marcelo%20-%20Tocqueville%2c%20a%20provid%c3%aancia%20e%20a%20hist%c3%b3ria.pdf. Acesso em: 15 jun. 2018.

LIMA, Manuel de Oliveira. Elogio a Varnhagen. Discurso de posse na Academia Brasileira de Letras. 1903. Disponível em: http://www.academia.org.br/academicos/oliveira-lima/discurso-de-posse. Acesso em: 09 jul. 2017.

LOCKE, John. Da propriedade. In: LOCKE, John.Segundo Tratado sobre o Governo Civil: ensaio sobre a origem, os limites e os fins verdadeiros do governo civil. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

MAGALHÃES, Gonçalves de. Ensaio sobre a história da literatura do Brasil. Niterói, Revista brasiliense, ciências, letras e artes, Paris, TOMO I, 1836.

MARTIUS, Karl Friedrich Philipp von.Como se deve escrever a história do Brasil. RIHGB, Rio de Janeiro, n. 24, p. 381-403, jan./mar. 1845.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O Tempo Saquarema. São Paulo: HUCITEC, 1987.

REIS, José Carlos. As identidades do Brasil: de Varnhagen a FHC. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

RENAN, Ernest. Que é uma nação? Plural, São Paulo, n. 4, p. 154-175, 1. Sem. 1997.

ROSA, Giorgio de Lacerda. A Suprema Causa Motora: o providencialismo e a escrita da história no Brasil (1808-1825). Dissertação (Mestrado em História) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto, 2011.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A democracia na América: Leis e Costumes. v. 1. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. O Brasil. O Panorama, Jornal Literário e Instrutivo da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Úteis, Lisboa, v. I, dez. 1837.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Crônica do descobrimento do Brasil. O Panorama, Jornal Literário e Instrutivo da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Úteis, Lisboa, Tipografia da Sociedade, TOMO 4, p. 21-22, 33-35, 43-45, 53-56, 68-69, 85-87, 101-104, jan./dez. 1840.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Das naturais tendências da futura literatura brasiliense. O Panorama, Jornal Literário e Instrutivo da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Úteis, Lisboa, Tipografia da Sociedade, v. 5, jun. 1841.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Florilégio da poesia brasileira. TOMO I. Lisboa: Imprensa Nacional, 1850.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. TOMO I. Madri: Imp. da V. de Dominguez, 1854.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. TOMO II. Madrid: Imprensa de J. del Rio, 1857.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil.TOMO II. 2. ed. Rio de Janeiro: E. & H. Laemmert, 1877.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de.Correspondência ativa. Rio de Janeiro: INL, 1961.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Como se deve entender a nacionalidade na História do Brasil (Memória). In: SOARES, Lucas Jannoni. Entre a missão política e a ciência histórica: Francisco Adolfo de Varnhagen e a colonização portuguesa no Brasil (1854-1877). Tese (Doutorado em História) - Universidade de São Paulo, 2011.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Memorial orgânico que à consideração das Assembleias geral e provinciais do Império, apresenta um brasileiro. Dado a luz por um amante do Brasil.Brasília: FUNAG, 2016.

VATTEL, Emmerich de. O direito das gentes. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008.

WEHLING, Arno. Estado, história, memória: Varnhagen e a construção da identidade nacional. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

WEHLING, Arno. De formigas, aranhas e abelhas: reflexões sobre o IHGB. Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.1.15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas