Entre o discurso do atraso e a bonança da irrigação: o imaginário do sertão na construção social e econômica de Maniçoba-BA

Acerlandia Iraci de Souza Monteiro, Fernanda Roda de Souza Araújo Cassundé

Resumo


Este estudo baseia-se na análise das construções acerca do Sertão e sertanejo sobre diferentes registros históricos e por meio das vozes dos moradores do Distrito Irrigado de Maniçoba-DIM. Na metodologia foi desenvolvido um estudo qualitativo, baseado na perspectiva fenomenológica. A estratégia de pesquisa para este estudo é o da História Oral (HO). Os relatos demonstraram que os sertanejos de Maniçoba percebem a presença de preconceitos quando se trata do Sertão e do sertanejo, o que demonstra que o Nordeste construído no século XX continua sendo visto de acordo com os interesses das classes dominantes.


Palavras-chave


Sertão; Sertanejo; Estereótipos; História Oral

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. Condições históricas de emergência. In:A feira dos mitos: a fabricação do folclore e da cultura popular (nordeste – 1920-1950). São Paulo: intermeios, 2013.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz.Fragmentos do discurso cultural: por uma análise crítica do discurso sobre a cultura no Brasil,2007. Disponível em: http://docente.ifrn.edu.br/marcelmatias/Disciplinas/orientacoes/fragmentos-do-discurso-cultural-por-uma-analise-critica-do-discurso-sobre-a-cultura-no-brasil/at_download/fileAcesso em: 20 jun. 2019.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz.O engenho anti-moderno: a invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2001.

ALBUQUERQUE, Nycolas Santos. Apoderamento imagético do Nordeste do Brasil: Estereótipo e Discurso nas Artes, ComSertões, 2014. Disponível em:www.revistas.uneb.br/index.php/comsertoes/article/viewFile/741/651. Acesso em: 19 de jun. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Irrigação. 2019. Disponível em: https://www.ana.gov.br/usos-da-agua/irrigacao. Acesso em: 24 jun. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Martins e fontes. 2011.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Região integrada de desenvolvimento – RIDE:Petrolina – Juazeiro. 2011. Brasília, DF: Ministério da Integração Nacional. Disponível em: http://www.mi.gov.br/c/document_library/get_file?uuid=e7f5d3d8-e874-4968-8dda-210b04e07026&groupId=63635. Acesso em: 19 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. A irrigação no Brasil: situação e diretrizes. Brasília, DF:Ministério da Integração Nacional, 2008. 132 p.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das letras, 1994.

CALAZANS, Rejane. Ambivalências: O Nordeste nas obras de Gilberto Freyre e Celso Furtado,Revista brasileira de Ciências Sociais,São Paulo, v. 22 n. 64, 2007.

CARVALHO, Leonora Guiné de Mello. Estereótipo e identidade em piadas sobre o mineiro: uma perspectiva da análise do discurso. 2011. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Vale do Rio Verde, 2011.

CASSUNDÉ, Fernanda Roda de Souza Araújo. Desenvolvimento de E-competências para o Ensino na EAD e a Influência das Condições Institucionais: um Estudo em uma IES Federal. 2015. Tese (Doutorado em Administração) Universidade Federal de Pernambuco. 2015.

CASSUNDÉ, Fernanda Roda de Souza Araujo; SOUZA, Acerlandia Iraci de; BARBOSA, Ayrton Arthur Nobre; SOLANO, Lincoln Nunes; SILVA, Geovane Soares. Senta que lá vem história: era uma vez um município chamado Maniçoba, XX SEMEAD Seminários deAdministração, 2017. Disponível em:http://login.semead.com.br/20semead/anais/resumo.php?cod_trabalho=8. Acesso em: 02 jun. 2019.

CATROGA, Fernando. Memória, história e historiografia. Coimbra: Quarteto, 2001, p. 72

CHACON, Suely Salgueiro. O sertanejo e o caminho das águas: políticas públicas, modernidade e sustentabilidade no semi-árido. 2007. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável). Série Banco do Nordeste do Brasil- Teses e Dissertações, 2007.

CLIMATE. Clima em Juazeiro, 2019. Disponível em:https://pt.climate-data.org/america-do-sul/brasil/bahia/juazeiro-31939/. Acesso em 15 jun. 2019.

CORREA, Silvio Marcus de Souza. História local e seu devir historiográfico. Métis - história e cultura, v. 2, n. 2, p. 11-32, 2002.

CODEVASF. Maniçoba. 2018. Disponível em:http://www.codevasf.gov.br/principal/perimetros-irrigados/elenco-de-projetos/manicoba. Acesso em: 19 set. 2018.

ESCÓRCIO, Maíra Leite. O Sertão é um mundo: uma aproximação fenomenológica dos modos de ser-no-mundo de sertanejos do semiárido nordestino. 2016. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2016.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva.Tradução: Laurent Léon Schaffter. 2 ed. Paris, 1968. 189 p.

HOBSBAWM, Eric. Introdução. In:A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1997.

HUSSERL, Edmund. A ideia da fenomenologia.Lisboa: Edições 70, 2001.

ICHIKAWA, Elisa Yoshie; SANTOS, Lucy Woellner. Vozes da História: Contribuições da História Oral à Pesquisa Organizacional, 2003.

JUAZEIRO. Lei nº 3.496, de 13 maio de 2019. Câmara aprova Projeto consolidando configuração territorial do Distrito de Maniçoba em Juazeiro. Juazeiro: Câmara Municipal, [2019]. Disponível em: https://www.juazeiro.ba.leg.br/institucional/noticias/camara-aprova-projeto-consolidando-configuracao-territorial-do-distrito-de-manicoba-em-juazeiro. Acesso em: 02 jun. 2019.

KRAUS, Lalitá. A educação contextualizada no Semiárido brasileiro: entre desconstrução de estereótipos e a construção de uma nova territorialidade. Revista de geografia (UFPE),Recife,v. 32, n.01, p. 26-40, 2015.

LEITE, Gabriela Maria de Sousa. A valorização do patrimônio estético de raiz africana na sala de aula contribuições do acervo do museu Afro Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Artes). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2018.

MACEDO, Tairone Zuliani de. As origens e evoluções etimológicas dos termos Sertão e sertanejo,2006. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/113/o/Tairone_Zuliani_de_Macedo_-_AS_ORIGENS_E_EVOLU%C3%87%C3%95ES_ETIMOL%C3%93GICAS_DOS_TERMOS_SERT%C3%83O_E_SERTANEJO.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

MENDONÇA, Selvina da Costa. Dependência do Estado como barreira à emancipação dos pequenos produtores assentados no Perímetro Irrigado de Maniçoba (Juazeiro-BA). 2006. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Federal de Sergipe, 2006.

MENEGOLO, Elizabeth D. da C. W. O uso da história oral como instrumento de pesquisa sobre ensino da produção textual. In:Ciência e Cognição, v. 09, p. 02-13, 2006.

MERRIAM, Sharan B. Qualitative research in practice: examples for discussion and analysis. San Francisco, Jossey-Bass, 2002.

MONTENEGRO, Antonio Torres. História oral e memória: a cultura popular revisitada. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2010. 153 p.

OLIVEIRA, Cristiano Lessa. Um apanhado teórico-conceitual sobre a pesquisa qualitativa: tipos, técnicas e características. Travessias, v. 04, 2010. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/viewFile/3122/2459. Acesso em: 22 out. 2018.

OLIVEIRA, Vanessa Silva; ARAÚJO, Robéria Nádia Nascimento. Concepções e estigmas regionais do Nordeste no programa “Globo Rural”, XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação,Recife, 2011.

ORTEGA, Antonio Cesar; SOBEL, Tiago Farias. Desenvolvimento territorial e perímetros irrigados: avaliação das políticas governamentais implantadas nos perímetros irrigados Bebedouro e Nilo Coelho em Petrolina (Pe). Planejamento e políticas públicas, n. 35, 2010.

PERECMAN, Ellen; CURRAN, Sara R. A Handbook for Social Science: Field Research -Essays & Bibliographic Sources on Research Design and Methods. California: Sage Publications, 2006.

PEREIRA, Carlos Alberto. O Brasil do Sertão e da mídia televisiva, Comunidade e Sociedade, n. 24, 1995. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO/article/view/8091. Acesso em: 24 jun. 2019.

PRINS, Gwyn. História oral. In: BURKE, Peter. (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992, p. 163-198.

POLLACK, Michel. Memória e identidade social. In:Estudos históricos, v. 05, n. 10, 1992, p. 204. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/1941/1080. Acesso em 10 out. 2018.

SANTOS, Fabiola Moura Reis. O sertão que a TV não vê: o jornalismo contextualizado com o semiárido brasileiro. Teresina: EDUFPI, 2017. 200 p.

SANTOS, João Almeida; MASSAROPPE, José Antônio; VIEIRA, Almir Martins. Contribuições da história oral como método de investigação organizacional. In: XXIII Encontro Nacional dos Cursos de Graduação em Administração, Bento Gonçalves, 2012.

SCOVILLE, André Luiz Martins Lopes. Literatura das secas: ficção e história. 2011. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal do Paraná. 2011.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007. 304 p.

SIANI, Sergio Ricardo; CORREA, Dalila Alves; LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Fenomenologia, método fenomenológico e pesquisa empírica: o instigante universo da construção de conhecimento esquadrinhada na experiência de vida. Revista de Administração da UNIMEP, v. 14, n. 1, 2016. Disponível em:http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/article/viewFile/1002/670. Acesso em: 30 out. 2018.

SILVA, Arlete Mendes; CARDOSO JÚNIOR, Hamilton Matos. Sertão e litoral: por uma discussão preliminar do Sertão no planalto central, Revista de Geografia, v. 36, n.1, 2019.

SILVA, Roberto Marinho Alves da. Entre o combate à seca e a convivência com o semi-árido: transições paradigmáticas e sustentabilidade do desenvolvimento. 2006. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) Brasília, 2006.

SILVEIRA, Roberto Azoubel da Mota. A reinvenção do Nordeste nas crônicas d’O Carapuceiro. 2007. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2007.

SOARES, Jessica Maria Alexandre; SOUZA, Amanda Rafaela Ferreira; BRITO, Leandro Paes de; SOUSA, Juliana Delfino de; CALIXTO, Merilane da Silva. Representação do semiárido nordestino pela mídia: uma abordagem caricata. II Conidis – Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido,v. 01, 2017. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conidis/trabalhos/TRABALHO_EV074_MD1_SA7_ID255_02102017223106.pdf.Acesso em: 02 jun. 2019.

SOUSA, João Eudes Portela de; SOUSA, Antonia Nilene Portela de. Das reflexões imagéticas para retratar o Nordeste brasileiro: o Ceará de cine holliúdy, 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Curitiba, 2017.

SOUSA NETO, Marcelo de. Imagens de Nordeste: o regionalismo e o Nordeste como prática discursiva. Revista tempo histórico, v. 02, n. 02, 2010. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistatempohistorico/index.php/revista/article/view/20. Acesso em: 24 set. 2018.

SOUSA, Maria Sueli Rodrigues de. Imaginário social de semi-árido e o processo de construção dos saberes ambientais: o caso do município de Coronel José Dias – Piauí. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Universidade Federal do Piauí, Teresina 2005.

TELES, Gilberto Mendonça. O lu(g)ar dos sertões, Verbo de Minas, v. 08, n. 16, 2009. Disponível em:https://seer.cesjf.br/index.php/verboDeMinas/article/view/246. Acesso em: 02 jun. 2019.

TUZZO, Simone Antoniaci; BRAGA, Claudomilson Fernandes. O processo de triangulação na pesquisa qualitativa: o metafenômeno como gênese. Revista Pesquisa Qualitativa, v.4, n. 5, 2016. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/download/38/31. Acesso em: 31 out. 2018.

Entrevistas:

LIMA, Sandra da Conceição. Sandra Lima da Conceição: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

NICÁCIO, Lucineia da Silva Souza. Lucineia da Silva Souza Nicácio: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

OLIVEIRA, Maria Silvana da Silva. Maria Silvana da Silva Oliveira: entrevista [jul. 2019]. Entrevistador: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SANTOS, Joaquim Francisco. Joaquim Francisco dos Santos: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SILVA, Domingos Nicácio. Domingos Nicácio da Silva: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SILVA, Julia Generosa Conceição. Julia Generosa Conceição da Silva: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SILVA, Maria Janete. Maria Janete da Silva: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SILVA, Osvaldo Severino. Osvaldo Severino da Silva: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SILVA, Valdeci Nicácia da. Valdeci Nicácia da Silva: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.

SOUZA, Maria das Dores de. Maria das Dores de Souza: entrevista [jul. 2019]. Entrevistadora: Acerlandia Iraci de Souza Monteiro. Juazeiro: Distrito irrigado de Maniçoba, 2019.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.1.16

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas