Entre aguas, fronteras de la Amazonia

José Luis Ruiz-Peinado Alonso

Resumo


Este artigo apresenta uma pesquisa sobre sociedades constituidas por mocambeiros, índios, mestiço e brancos pobres libres estabelecidas em regiões de fronteiras localizadas na Amazônia brasileira. Trata-se de populações organizadas em áreas de difícil acesso em zonas entre o Pará, o Maranhão e as Guayanas que, apesar de marginalizadas pelo mundo colonial e pós-colonial, constituíram uma ameaça para a produção de base escravista defendida até o final do século XIX, no Brasil. Segundo documentos governamentais, elas representavam um perigo por suas amplas relações com outros indígenas e mocambeiros das Guianas, assim como, por possíveis envolvimentos em revoltas de largo alcance. A influência das Revoluções Francesa, Americana e, sobre tudo, a do Haití atormentavam portugueses e brasileiros preocupados em manter o sistema escravista.


Palavras-chave


Fronteiras, Amazonas, revoluções, mocambos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas