A requalificação do Forte de Tamandaré (Pernambuco)

Maria do Carmo Ferrão Santos

Resumo


Este artigo trata da atuação da urbanização moderna no processo de reforma do Forte de Tamandaré. A referida fortificação foi construída entre 1668 e 1814.  Com o passar do tempo e apenas se submetendo a pequenas reparos, o Forte ficou bastante danificado, porém, nunca deixou de ser visitado pela população local e turistas. A partir de 2015, o PRODETUR, IPHAN, FUNDARPE e BIRD, promoveram a sua requalificação, que foi inaugurada em 27 de julho de 2017, com apenas parte das metas concluídas. Essa nova roupagem do Forte, embora satisfaça a contemplação dos turistas, gerou um certo conflito entre os nativos, já que esperavam uma restauração que preservasse a sua integridade arquitetônica.

 


Palavras-chave


Forte de Tamandaré, Requalificação, Turismo

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, C. X. P. O Rio Formoso. 2ª. Edição. Rio de Janeiro: Aurora, 1955.

BARRETO, M. Turismo e legado cultural: as possibilidades do planejamento. Campinas, SP: Papirus, 2000. 96 p.

BELMAR, J. Recife: história e vida. Textos. Edição 1. Dez, 2019. 26 p.

BOXER G. R. Os holandeses no brasil 1624-1654. Brasiliana. vol 312. Companhia Editora Nacional. São Paulo. 1957. 487 p.

CHIOZZINI, D. Turismo cultural e educação patrimonial mais próximos. Patrimônio – Revista Eletrônica do Iphan. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

CHOAY, F. A alegoria do Patrimônio. Publicação original em francês, em 1992. Tradução de Luciano Vieira Machado. São Paulo: UNESP, 2001. 288p.

GUEDES, M. T. F. O lado doutor e o gavião de penacho: movimento modernista e patrimônio cultural no Brasil: o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN). São Paulo: Annablume, 2000. 103 p.

IBGE. 2019. Censo. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/tamandare /panorama, Acesso em: 15 de dezembro de 2019.

LOCATELLI, V. Le Corbusier, la storia, la conservazione: treletture attraverso i testi. Milão: Franco Angeli, 1990. 163 p.

PEIXOTO, P. Requalificação urbana. In: FORTUNA, Carlos; LEITE, Rogerio (Org.). Plural de cidade: novos léxicos urbanos. Coimbra: Edições Almedina AS. 2009.

RUSKIN, J. Las siete lámparas de la arquitectura. Barcelona: Atla Fulla, 1988. 250 p.

SANTOS, M. C. F. Tamandaré a história de um município. Tamandaré, 2000. 115 p.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1974. 288 p.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2021.39.1.16

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291