Tempo e narrativa em Quéreas e Calírroe: helenismo e Império Romano

Igor B. Cardoso

Resumo


O artigo tem como objetivo analisar Quéreas e Calírroe, romance grego atribuído a Cáriton de Afrodísias (século II), a partir das contribuições de Mikhail Bakhtin e Jacyntho Lins Brandão acerca do conceito de “pós-Antiguidade”. Busca-se identificar e compreender que tipo de relação temporal expressou a prosa ficcional, levando em consideração as representações helenísticas sobre a tradição, especialmente as experiências democráticas, em um contexto de hegemonia do Império Romano.

Palavras-chave


Pós-antiguidade; Romance grego; Helenismo; Império Romano

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARES, Jean. Some political and ideological dimensions of Chariton’s “Chaereas and Callirhoe”. The Classical Journal, v, 97, n. 2, p. 113-144, Dec. 2001/Jan. 2002.

ARENDT, Hannah. O conceito de História – Antigo e Moderno. In: ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução Mauro W. Barbosa. 7 ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução de Aurora Bernadini [et. al.]. 4 ed. São Paulo: Unesp, 1998.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. A adivinhação no mundo helenizado do segundo século. Clássica, São Paulo, n. 4, p. 103-12, 1991.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. A invenção do romance: narrativa e mimese no romance grego. Brasília: UnB, 2005.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. A poética do hipocentauro: literatura, sociedade e discurso ficcional em Luciano de Samósata. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

CÁRITON DE AFRODÍSIAS. Quéreas e Calírroe. Tradução do grego, introdução e notas de Maria de Fátima de Sousa e Silva. Lisboa: Cosmos, 1996.

CHARITON. Callirhoe. Edited and translated by G. P. Goold. Cambridge; London: Havard University Press, 1995.

CUEVA, Edmund. The myths of fiction: studies in the canonical greek novels. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2007.

DERRIDA, Jacques. Pensar em não ver. In: DERRIDA, Jacques. Pensar em não ver: escritos sobre as artes do visível (1979-2004). Florianópolis: UFSC, 2012.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 3: o cuidado de si. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

FREITAS, Marcus Vinicius. Do pós-moderno ao pós-antigo. Classica, São Paulo, v. 9/10, n. 9/10, p. 255-261, 1997.

GARRAFFONI, Renata. Os bandidos entre os romanos: leituras eruditas e percepções populares. História, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 133-151, 2007.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Tradução Andréa Souza de Menezes [et al.]. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

HINGLEY, Richard. Globalizing Roman culture: unity, diversity and empire. New York: Routledge, 2005.

HOMERO. Odisseia. Tradução Carlos Alberto Nunes. 5 ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

HOMERUS. Odyssea. Ed. P. von der Muhll. Basel: Lichtenhahn, 1962.

KONSTAN, David. Sexual Symmetry: Love in the Ancient Novel and Related Genres. Princeton: Princeton University Press, 1994.

LALANNE, Sophie. Une éducation grecque: le roman grec ancien. Paris: La Découverte, 2006.

LAPLACE, Marcelle. Les légendes troyennes dans les “Roman” de Chariton Chairéas et Challirhoé. Revue de Ètudes Grecques, Tome 93, Fascicule 440-441, p. 83-125, Janvier-juin. 1980.

LUGINBILL, Robert D. Chariton’s Use of Thucydides’ “History” in Introducing the Egyptian Revolt (“Chaireas and Callirhoe” 6.8). Mnemosyne, Fourth Series, v. 53, f. 1, p. 1-11, Feb. 2000.

MacALISTER, Zuzanne. Dreams and suicides: the Greek novel from Antiquity to the Byzantine Empire. London; New York: Routledge, 2005.

MOTA, Ivan Luiz. O romance As Efesíacas de Xenofonte Efésio à meia-luz da antropologia literária. Dissertação (Mestrado em Letras), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução Alain François [et. al.]. Campinas: Unicamp, 2008.

SANO, Lúcia. Sendo homem: a guerra no romance grego. Tese (Doutorado em Letras), Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SCHIAVONE, Aldo. Uma história rompida: Roma Antiga e Ocidente Moderno. Tradução Fábio Duarte Joly. São Paulo: USP, 2005.

SCHWARTZ, Saundra. Rome in the Greek novel? Images and ideas of Empire in Chariton’s Persia. Arethusa, v. 36, n. 3, p. 375-394, Fall, 2003.

SHAW, Brent. Bandits in the Roman Empire. Past & Present, n. 105, p. 3-52, Nov., 1984.

SILVA, Maria de Fátima. O motivo do sonho no romance de Cáriton. In: OLIVEIRA, Francisco de; FEDELI, Paolo; LEÃO, Delfim (orgs.). O romance antigo: origens de um gênero literário. Coimbra: Instituto de Estudos Clássicos de Coimbra, 2005.

TILG, Stefan. Chariton of Aphrodisias and the invention of the Greek Love Novel. Oxford: Oxford University Press, 2010.

WHITMARSH, Tim. Narrative and identity in the Ancient Greek Novel: returning romance. Cambridige: Cambridge University Press, 2011.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.2.04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas