Rupturas e Continuidades na Assembleia Constituinte de 1823: a autoridade do monarca e o lugar do poder local

Glauber Miranda Florindo

Resumo


No presente trabalho, analisamos a Constituinte de 1823 no que diz respeito à discussão em torno das esferas polítco-adminstrativas nas províncias e nos municípios, mais especificamente buscamos entender como se deram as formações, ou melhor, a reformulações das esferas municipais e provinciais e como elas se relacionam com o debate em torno da autoridade e do equilíbrio dos poderes executivo (também monárquico) e legislativo, dentro de um novo arranjo monárquico-constitucional. Observamos a existência de uma certa continuidade discursiva e prática, de um arranjo de Estado não-constitucional, na formação do arranjo de Estado brasileiro. Dito de outra forma, acreditamos que permanências da antiga ordem se mesclaram às mudanças trazidas pelo Processo de Independência e a análise dos debates ocorridos na Constituinte de 1823 são férteis para pensarmos essas continuidades provenientes da velha ordem colonial.


Palavras-chave


Processo de Independência, Monarquia Constitucional, Construção do Estado

Texto completo:

PDF

Referências


BICALHO, Maria Fernanda. As Câmaras Municipais no Império Português: o exemplo do Rio de Janeiro, Revista Brasileira de História, v. 18, n. 36, p. 251–280, 1998.

BOXER, C. R. O Império Colonial Português (1415-1825). Lisboa, Edições 70, 1981

BRASIL. Annaes do Senado do Império do Brazil. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1823.

BRASIL. Constituição Política do Império do Brazil. Carta de Lei de 25 de março de 1824. Coleção das Leis do Brazil de 1824. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1886

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: O longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014

CHAVES, Cláudia Maria das Graças, PIRES, Maria do Carmo, MAGALHÃES, Sônia Maria (Org.). Casa de Vereança de Mariana:300 anos de História da Câmara Municipal. Ouro Preto: Editora da UFOP, 2008

COSER, Ivo. Visconde do Uruguai: Centralização e Federalismo no Brasil (1823 - 1866). Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: Iuperj, 2008.

COSER, Ivo. O debate entre centralizadores e federalistas no século XIX: A trama dos conceitos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 26, n. 76, p.191-227, jun. 2011.

CUNHA, Pedro Octávio Carneiro da. A Fundação de Um Império Liberal: Discussão de Princípios. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História Geral da Civilização Brasileira, 6ªed. São Paulo: Difel, 1985, t. II, v.l

FALCÓN, Francisco C.; MATTOS, Ilmar Rohloff de. O Processo de Independência no Rio de Janeiro. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: Formação do Patronato Político Brasileiro. São Paulos: Globo, 2005

FLORINDO, Glauber Miranda. Roupas velhas ou novas: as câmaras municipais no processo de construção do Estado imperial brasileiro (Mariana, 1828-1834). 2018. 287 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Departamento de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2018.

LOPES, José Reinaldo de Limas. Iluminismo e Jusnaturalismo no Ideário dos Juristas da Primeira Metade do Século XIX. In: JANCSÓ, István (org.). Brasil: Formação do Estado e da Nação. São Paulo: Hucitec; Editora Unijuí; FAPESP, 2003

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo saquarema:a formação do Estado imperial. 4a edição. Rio de Janeiro: Access editora, 1999.

NEVES, Lúcia Bastos Pereira das. A vida Política. In: SCHWARCZ, Lilia Mortiz (Org.). Crise Colonial e Independência: 1808-1830. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011. (Coleção História do Brasil Nação: 1808-2010).

PIÑEIRO, Théo Lobarinhas. Os Simples Comissários: negócios e políticas no Brasil Império. 2002. 233 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, PPGH, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2002.

SLEMIAN, Andréa. Sob o império das leis: Constituição e unidade nacional na formação do Brasil (1822-1834). 2006. 338 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de História, São Paulo, 2006.

SARAIVA, Luiz Fernando. O Império das Minas Gerais: Café e Poder na Zona da Mata Mineira. 2008. 356 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Departamento de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

SILVA, Karla Maria da. O poder municipal e as práticas mercantilistas no mundo colonial: um estudo sobre a Câmara Municipal de São Paulo – 1780-1822. 2011. 155 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis. Assis. 2011. P.22-23




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.2.13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas