Clio no ultramar: elementos da historiografia portuguesa nas narrativas seiscentistas da “guerra holandesa”

Kleber Clementino da Silva

Resumo


O artigo examina como o legado da historiografia portuguesa reverbera nas narrativas sobre a presença holandesa no Atlântico Sul (1630-1654), indicando que, embora as obras devam ser lidas em diálogo com seus contextos históricos específicos, suas concepções de historia e certos elementos retóricos que as caracterizam se inspiram em um paradigma historiográfico enraizado na Península Ibérica. 


Palavras-chave


Guerra holandesa; Historiografia; Retórica

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Valdei L. de; GIANEZ, Bruno. A emergência do discurso histórico na crônica de Fernão Lopes. Fenix: Rev. de História e Estudos Culturais, junho de 2006, vol. 3, ano 3, n. 2.

BARROS, João de. Da Ásia: década terceira. Lisboa: Régia Officina Typografica, 1778.

BOMFIM, Manuel. América Latina: males de origem. In: SANTIAGO, Silviano (coord.). Intérpretes do Brasil, volume I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.

BOURDÉ, Guy & MARTIN, Hervé. As escolas históricas. Sintra: Publicações Europa América, s/d.

BRANDÃO, Antônio. Monarchia Lusitana: parte terceira. Lisboa: Pedro Craesbeeckimpressor, 1632.

BRITO, Bernardo de. Monarchia Lusytana: parte primeira. Vila de Alcobaça (Portugal): Impressora do mosteiro cisterciense, 1597.

CALDEIRA, Jorge. História do Brasil com empreendedores. São Paulo: Mameluco, 2009.

CARTROGA, Fernando. Política, história e revolução em Antero de Quental. Coimbra: Revista de História das Ideias, vol. 13, 1991, pp. 7-55.

CAVALCANTI, Paulo. Eça de Queiroz: agitador no Brasil. Recife: CEPE, 2009.

CLEMENTINO, Kleber. Distinção e semelhança: estudo comparativo de duas crônicas das guerras holandesas na América Portuguesa. Natal (RN): Anais do XVII simpósio nacional de história da Anpuh, 2013.

D’INCAO, MARIA A. (org.). História e ideal: ensaios sobre Caio Prado Jr. São Paulo: Brasiliense, 1989.

DOSSE, François. A história. São Paulo: Unesp, 2012.

DUARTE, Isabel Margarida. O relato de discurso na Crônica de D. João I (I parte) de Fernão Lopes. In: FONSECA, Fernanda Irene et al., Língua Portuguesa: Estruturas, Usos e Contrastes. Revista do Centro de Linguística da Universidade do Porto, 2003, pp. 185-198.

FALCON, Francisco. Historiografia portuguesa contemporânea. Rio de Janeiro: Revista Estudos Históricos, n. 1, 1988, pp. 79-99.

FRAGOSO, João L. R.; GOUVEIA, Maria de F. O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

FRIEIRO, Eduardo. O diabo na livraria do cônego. Belo Horizonte: Itatiaia, 1957.

FRIGHETTO, Renan. Historiografia e poder: o valor da história, segundo o pensamento de Isidoro de Sevilha e de Valério Bierzo (Hispania, século VII). Ouro Preto (MG): Revista de História da Historiografia, n. 5, setembro de 2010, pp. 71-84.

GRAFTON, Anthony. What was history? The art of history in early modern Europe. Cambridge (UK): Cambridge University Press, 2009.

HESPANHA, Antônio Manuel. As vésperas do Leviathan: instituições e poder político em Portugal (séc. XVII). Lisboa: Almedina, 1994.

HOUAISS, Antônio e VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

JESUS, Rafael de. Monarchia Lusitana: parte sétima. Lisboa: Impressão de Antônio Craesbeeck e Mello, 1683.

KANTOR, Iris. Esquecidos e Renascidos: historiografia acadêmica luso-americana (1724-1759). São Paulo: Hucitec; Salvador: Centro de Estudos Baianos/UFBA, 2004.

LÍVIO, Tito. História de Roma, livro I: Monarquia. Belo Horizonte: Crisálida, 2008.

MALEVAL, M. Tavares. A estoria de Dom Nuno Alvares Pereyra ou Coronica do Condestabre. Florianópolis: Rev. Anpoll (Associação Nacional de Pós-graduação e pesquisa em Letras e Linguística - UFSC), Série Estudos Medievais 3: fontes e edições, pp. 111-139.

MELLO, Evaldo C. de. Rubro Veio: o imaginário da restauração Pernambucana. São Paulo: Alameda, 2008.

MELLO, José Antônio Gonsalves de. Frei Manuel Calado do Salvador: religioso da ordem de São Paulo, pregador apostólico por Sua Santidade, cronista da Restauração. Recife: Universidade do Recife: 1954.

MELLO, José Antônio Gonsalves de. Estudos pernambucanos: crítica e problemas de algumas fontes da história de Pernambuco. Recife: Fundarpe, 1986.

MELLO, José Antônio Gonsalves de. João Fernandes Vieira: mestre-de-campo do terço de infantaria de Pernambuco. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 2000.

MENESES, Felipe Ribeiro de. Salazar: biografia definitiva. São Paulo: Leya, 2011.

MOMIGLIANO, A. As raízes clássicas da historiografia moderna. Bauru: EDUSC, 2004.

OLIVEIRA, Antônio de. D. Francisco Manuel de Melo, historiador. Península, revista de estudos ibéricos, n. 6, 2009, pp. 17-60.

PRADO JR., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. In: SANTIAGO, Silviano (coord.). Intérpretes do Brasil, volume III. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.

PRADO, M. Emilia. Leituras da colonização portuguesa no Brasil. Revista Intellectus, ano 5, vol. I, 2006.

PRADO, Paulo. Retrato do Brasil: ensaio sobre a tristeza brasileira. In: SANTIAGO, Silviano (coord.). Intérpretes do Brasil, volume II. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.

PRATA, Manuel Alberto Carvalho. Algumas notas sobre a produção científica na Faculdade de Filosofia (1772-1820). Coimbra: Revista de História das ideias, vol. 12, 1990, pp. 73-88.

SALVADOR, Manuel Calado do. O valeroso Lucideno e triumpho da liberdade. Lisboa:Paulo Craesbeeck editor, 1648.

SANTIAGO, Diogo Lopes. História da guerra de Pernambuco. Recife: CEPE, 2004.

SARAIVA, José Antônio; LOPES, Oscar. História da literatura portuguesa. Santos (SP): Livraria Martins Fontes, s/d.

CAMENIETZKI, C. Ziller. Esboço biográfico de Valentin Stansel (1621-1705), matemático jesuíta e missionário na Bahia. Feira de Santana: Revista Ideação, n. 3, jan-jun. 1999, pp. 159-182.

CAMENIETZKI, C. Ziller. . O cometa, o pregador e o cientista: Antônio Vieira e Valentin Stansel observam o céu da Bahia no século XVII. Revista da SBHC, n. 14, 1995, pp. 37-52.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas