Médicos e engenheiros no Recife oitocentista: Higienismo, Implantação de Projetos Arquitetônicos e de Serviços Urbanos

Carlos Alberto Cunha Miranda

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar aspectos dos saberes médicos na cidade do Recife, na perspectiva de implantação de um urbanismo higiênico. O alto índice de epidemias e de insalubridade dos lugares públicos passou a preocupar os médicos, engenheiros e autoridades governamentais que procuraram intervir no espaço urbano, novos prédios públicos, serviços de abastecimento de água e de saneamento com a finalidade de modernizar a cidade e atenuar o perigo das epidemias que assolavam com frequência a Província de Pernambuco, especialmente a cidade do Recife. Neste contexto, procuramos demostrar como os médicos e engenheiros, muitos deles com formação europeia, influenciaram no processo de higienização da cidade, construções de novas edificações e criação desses serviços urbanos.


Palavras-chave


Saúde pública, Higienistas, Engenheiros, Edificações, Serviços urbanos

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE NETO, Flávio de Sá. Da Cadeia a Casa de Detenção: A reforma prisional no Recife em meados do século XIX.In: MAIA, Clarissa Nunes (Org) História das Prisões no Brasil, vol. 2/ Organização de Clarissa Nunes Maia. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

ARRAIS, Raimundo.O Pantâno e o riacho: a formação do espaço público no Recife do século XIX. São Paulo: /FFLCH/USP, 2004.

AULER, G.A. A Companhia de Operários (1839-1843). Arquivo Público Estadual. Imprensa Oficial. Recife: 1959.

CASTRO, Vanessa de. Das Igrejas ao cemitério: politicas públicas sobre a morte no Recife do século XIX. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2007.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiços e epidemias na corte imperial. São Paulo: Companhia das letras, 1996.

Coleção de Leis Provinciais de Pernambuco do ano de 1858. Recife: Typ. de M. F. de.Faria, 1858.

Coleção de Trabalhos do Conselho Geral de Salubridade pública da Província de Pernambuco. Recife: Typ. S. caminha, 1845-1850.

COSTA, Cleonir Xavier de Albuquerque & ACIOLI, Vera Lúcia Costa. Jose Mamede Alves Ferreira: sua vida – sua obra, 1820-1965., Recife, Apeje, 1985.

COSTA, Veloso. Alguns aspectos históricos e médicos do Recife. Recife: Universidade Federal de Pernambuco- Imprensa Universitária, 1971.

CUETO, Marcos, PALMER, Steven. Medicina e Saúde Pública na America Latina: uma história. Rio de aneiro: Editora FIOCRUZ, 2016.

DINIZ, Ariosvaldo da Silva. As artes de curar nos tempos do cólera. Recife, 1956. In: CHALHOUB, Sidney et. Al. (org.) Artes e ofício de curar no Brasil: capítulos de história social - Campinas, São Paulo: Editora da UNICAMP, 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FREITAS, Octavio. Medicina e costumes do Recife Antigo. Recife: Imprensa Industrial, 1943.

FREYRE, Gilberto. Um engenheiro francês no Brasil. Tomo I. Rio de Janeiro. José Olympio, 1960.

LE GOFF, Jacques. As doenças têm história. Lisboa: Terramar, 1991.

MACHADO Roberto. Danação da norma: a medicina social e a constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1978.

MENEZES, José Luiz Mota, ARAÚJO, Hamilton Francisco de, CHAMIXAES, José Castelo Branco. Águas do Prata: história do Saneamento de Pernambuco. Recife: Gráfica Editora Apipucos S.A. 1991.

MIRANDA, Carlos Alberto Cunha. Práticas Médicas, doenças e cotidiano no Hospital Pedro II do Recife na segunda metade do século XIX. In: FRANCO, Sebastião Pimentel, NASCIMENTO, Dilene Raimundo, MACIEL, Leonor Noia. Uma história brasileira das doença.. Volume 4. Org. Ed. Belo Horizonte , MG, Fino Traço, 2013.

MONTENEGRO, Olívio. Memórias do Ginásio Pernambucano. Editora da Assembleia Legislativa de Pernambuco, 1979.

O CARAPUCEIRO - Padre Lopes da Gama ano 1839. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, Editora CEPE, 1983.

PEREIRA, Cosme de Sá. Cólera-morbo. Medidas preventivas. Reminiscência do cólera em Pernambuco nos anos de 1855-1856. Recife: Typ de M. F.de Farias &filho, 1885.

PONCIONI, C. Pontes e idéias: um engenheiro fourierista francês em Pernambuco. Recife: Cepe, 2010.

ROSEN, George. Uma história da saúde pública. São Paulo: Hucitec: Editora da Universidade Estadual Paulista; Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletica, 1994.

SOUZA, Alberto – OLIVEIRA, Antônio Francisco. Uma jóia arquitetônica do Brasil Imperial: A antiga Casa de Detenção. Arquitexto, ano 16, dez, 2015.

SOUZA, Alberto. O Classicismo arquitetônico no Recife imperial. João Pessoa: Editora Universitária – Fundação João Fernandes da Cunha, 2000.

WITTER, Nikelen Acosta. O Curador de feitiço e a violência da cura: categoria de dença e de prática de cura no Brasil oitocentista. In: FRANCO, Sebastião Pimentel; NASCIMENTO, Dilene Raimundo do; SILVEIRA, Anny Jackeline Torres. Uma História Brasileira das Doenças. Vol 5, Belo Horizonte, MG/Fino Traço, 2015.

ZANCHETI, Silvio Mendes. O Estado e a cidade do Recife (1836-1889). Tese de doutoramento da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. São Paulo: USP, 1989.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.2.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas