Os índios “fanáticos realistas absolutos” e a figura do monarca português: disputas políticas, recrutamento e defesa de terras na confederação do Equador

Mariana Albuquerque Dantas

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar a participação dos índios dos aldeamentos de Barreiros e Cimbres, em Pernambuco, e Jacuípe, em Alagoas, no contexto político e nos conflitos armados referentes à Confederação do Equador (1824). De maneiras diferentes, os indígenas das citadas aldeias se envolveram ativamente nos debates sobre projetos políticos a partir de seus próprios interesses e expectativas, que se relacionavam à defesa das terras das aldeias e à administração desses espaços. Relacionando suas questões mais específicas a uma revolta de grandes proporções, os indígenas aldeados construíram seu protagonismo em momentos cruciais do processo de formação do Estado nacional brasileiro no século XIX.


Palavras-chave


Indígenas; Confederação do Equador; Estado nacional

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. “Índios, missionários e políticos: discursos e atuações político-culturais no Rio de Janeiro oitocentista”. In: SOIEHT, Rachel. BICALHO, Maria Fernanda. GOUVÊA, Maria de Fátima. (orgs.). Culturas políticas: ensaios de história cultural, história política e ensino de história. Rio de Janeiro: Mauad, 2005, pp. 235-258.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. “O lugar dos índios na história entre múltiplos usos do passado: reflexões sobre cultura história e cultura política”. In: SOIHET, Rachel… [et al] (orgs.). Mitos, projetos e práticas políticas: memória e historiografia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, pp. 207-230.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. “Populações indígenas e Estados nacionais latino- americanos: novas abordagens historiográficas”. In: AZEVEDO, Cecília. RAMINELLI, Ronald. História das Américas: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011, pp. 105-134.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

BARBALHO, Nelson. Cronologia Pernambucana: subsídios para a história do agreste e do sertão. Volumes 11 ao 14. Recife: Centro de Estudos de História Municipal/ FIAM, 1983-1984.

BERNARDES, Denis. “Pernambuco e o Império (1822-1824): sem constituição soberana não há união”. In: JANCSÓ, Istvan (org.). Brasil: formação do Estado e da Nação. São Paulo: Hucitec; Ed. Unijuí, Fapesp. 2003, pp. 219-250.

BERNARDES, Denis. O patriotismo constitucional: Pernambuco, 1820-1822. São Paulo: Hucitec: Fapesp; Recife, PE: UFPE, 2006.

CARVALHO, José Murilo de. “Mandonismo, coronelismo, clientelismo: uma discussão conceitual”. In: Dados. Vol. 40, n. 2. Rio de Janeiro, 1997. http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52581997000200003 Visitado em ago 2013.

CARVALHO, Marcus J. M. de. “Os índios de Pernambuco no ciclo das insurreições liberais, 1817/1848: ideologias e resistência”. In: Revista da Sociedade Brasileira de Pesquisa Histórica. No 111, 1996, pp. 51-69.

COSTA, F. A. Pereira da. Anais Pernambucanos. Versão em CD encarte de Folk-lore pernambucano: subsídios para a História da poesia popular em Pernambuco. Recife: CEPE, 2004.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

IRUROZQUI, Marta. “Presentación”. In: Revista de Indias. Dossier: Violencia política en América Latina, siglo XIX. Madrid. Vol. LXIX, nº 246. 2009.

LEITE, Glacyra Lazzari. Pernambuco 1824: a Confederação do Equador. Recife: Fundaj, Editora Massangana. 1989.

LINDOSO, Dirceu. A utopia armada: rebeliões de pobres nas matas do Tombo Real. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

LOPES, Fátima Martins. Em nome da Liberdade: as vilas de índios do Rio Grande do Norte sob o Diretório Pombalino no século XVIII. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2005.

MELLO, Evaldo Cabral de. A outra independência: o outro federalismo pernambucano de 1817 a 1824. São Paulo: Ed. 34, 2004.

MOREIRA, Vânia Maria Losada. “Caboclismo, vadiagem e recrutamento militar entre as populações indígenas do Espírito Santo (1822-1875)”. Diálogos Latino-americanos, n. 11, 2005, pp. 94-120.

NEVES, Lúcia Maria Bastos Pereira das. “Estado e política na independência”. In: GRINBERG, Keila. SALLE, Ricardo. O Brasil Imperial, volume 1: 1808-1831. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, pp. 95-136.

OLIVEIRA, João Pacheco de. “Uma etnologia dos ‘índios misturados’? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais”. In: A Viagem da Volta: Etnicidade, Política e Reelaboração Cultural no Nordeste Indígena. 2a. ed. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004, pp. 13-42.

RAMINELLI, Ronald J. “Nobreza indígena – os chefes potiguares, 1633-1695”. In: OLIVEIRA, João Pacheco de. (org.). A presença indígena no Nordeste: processos de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2011, pp. 47-68.

SAMPAIO, Patrícia. “Política indigenista no Brasil imperial”. In: GRINBERG, Keila. SALLES, Ricardo (orgs.). O Brasil Imperial, volume I: 1808-1831. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, pp. 175-206.

SILVA, Edson H. Xukuru: memórias e história dos índios da Serra Ororubá (Pesqueira/PE), 1950-1988. Tese (Doutorado) –Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

VELLASCO, Ivan de Andrade. “Clientelismo, ordem privada e Estado no Brasil oitocentista: notas para um debate”. In: CARVALHO, José Murilo de. NEVES, Lúcia Maria Bastos Pereira das. (orgs.). Repensando o Brasil do oitocentos: cidadania, política e liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, pp. 71-100.

VIEIRA, Geysa Kelly Alves. “Entre perdas, feitos e barganhas: a elite indígena na capitania de Pernambuco, 1669-1732”. In: OLIVEIRA, João Pacheco de de. (org.) A presença indígena no Nordeste: processo de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória. Rio de Janeiro: Contra Capa. 2011, pp. 69-90.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas