Recenseamento e conflito no Brasil Imperial: o caso da Guerra dos Marimbondos

Renata Saavedra

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar a Guerra dos Marimbondos, revolta contra o registro civil e o censo geral do Império, à luz dos processos de negociação que compõem a construção do Estado no Segundo Reinado brasileiro. Acreditamos que a revolta em questão deve ser encarada como uma manifestação política que evidencia elos de pertencimento dissonantes do projeto político hegemônico da ordem imperial do contexto, matizando a representação de estabilidade política do período. Após breve apresentação do episódio, tratamos do esforço do governo no sentido de deslegitimar o movimento para então discutir a expressividade da revolta e seus sentidos sociopolíticos.


Palavras-chave


Guerra dos Marimbondos; Revolta popular; Pernambuco; Segundo Reinado

Texto completo:

PDF

Referências


CARDOSO, Ruth Corrêa Leite. Movimentos sociais na América Latina. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 1; nº3, 1987.

CARVALHO, José Murilo de. “Cidadania: tipos e percursos”. Estudos Históricos, vol.9, nº18, 1996.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

CARVALHO, José Murilo de. A Construção da Ordem/Teatro de Sombras. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

CARVALHO, Marcus J. M. de. “Movimentos sociais: Pernambuco (1831-1848)”. In: GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo (Org.). O Brasil imperial, v. 2 (1831-1870). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, v. 2; p. 121-183.

CHALHOUB, Sidney. Illegal enslavement and the precariousness of freedom in nineteenth-century Brazil. In: Garrigus, John D.; Morris, Christopher. (Org.). Assumed Identities: The Meanings of Race in the Atlantic World. 1 ed. Arlington: The University of Texas, 2010, v. 1, p. 88-115.

CHALHOUB, Sidney. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil Oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

COSTA, Wilma Peres. O império do Brasil: dimensões de um enigma. Almanack Brasiliense nº1, maio de 2005; p.27-43.

DEL PRIORE, Mary; VENÂNCIO, Renato. Uma história da vida rural no Brasil. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: formação do patronato político brasileira. Porto Alegre: Editora Globo, 1979.

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo: Ática, 1974.

GRINBERG, Keila. Liberata: a lei da ambigüidade: as ações de liberdade da Corte de Apelação do Rio de Janeiro no século XIX. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

GRINBERG, Keila. O fiador dos brasileiros. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

GRINBERG, Keila. “Senhores sem escravos: a propósito das ações de escravidão no Brasil Imperial”. Almanack brasiliense, n°6, novembro de 2007.

GROSSI, Paolo. “O que é o direito?”. In: Primeira lição sobre o direito. Rio de Janeiro: Forense, 2006, p. 1-34.

HILL, Christopher. Liberty against the law: some seventeenth-century controversies. London: Penguin Press, 1996.

HOBSBAWM, Eric. Rebeldes Primitivos: estudos sobre formas arcaicas de movimentos sociais nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1970.

LOVEMAN, Mara. Blinded Like a State: The Revolt against Civil Registration in Nineteenth-Century Brazil. Comparative Studies in Society and History, 2007: 49 (1): 5-39.

MARCÍLIO, Maria Luiza. “Evolução da população brasileira através dos censos até 1872”. Anais de História, v. VI, 1974; pp. 115-37.

MATTOS, Hebe. Ao sul da História: lavradores pobres na crise do trabalho escravo. Rio de Janeiro: Editora FGV, Faperj, 2009.

MELLO E SOUZA, Laura. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1982.

MELO, Mário. “Guerra dos Maribondos”. Revista do Instituto Archeologico, Histórico e Geográfico Pernambucano (RIHAP), n°22, 1920, pp.38-47.

MOTA, Carlos Guilherme. “Ideias de Brasil: formação e problemas (1817-1850)”. In: MOTA (org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira – Formação: histórias. São Paulo: SENAC/SESC, 2000, pp.197-238.

MOTTA, Márcia. Movimentos rurais nos Oitocentos: uma história em (re)construção. Estudos Sociedade e Agricultura, 16: 95-112. Rio de Janeiro, CPDA, abril de 2001.

NADALIN, Sergio Odilon. História e demografia: elementos para um diálogo. Campinas: Associação Brasileira de Estudos Populacionais-ABEP, 2004.

OLIVEIRA, Maria Luiza. F. Respostas do Estado à revolta contra a lei do Registro Civil ou a lei do cativeiro, 1851-1852. In: Wilma Peres Costa; Cecília Helena de Salles Oliveira; Vera LUCIA NAGIB BITTENCOURT. (org.). Soberania e conflito: configurações do Estado Nacional no Brasil do século XIX. 1 ed. São Paulo: Hucitec, 2010, v. 1, p. 363-388.

LUCIA NAGIB BITTENCOURT. (org.). Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Ceará, 1851-1852". In: Dantas, Mônica (org). Revoltas, motins, revoluções: homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX. São Paulo: Alameda Casa Editorial, 2011, p.391-427.

PALACIOS, Guillermo. A “Guerra dos Maribondos”: uma revolta camponesa no Brasil escravista (Pernambuco, 1851/1852) – Primeira Leitura. História: Questões e Debates, Curitiba, 10 (18-19): 7-75, Jun-Dez 1989.

PALACIOS, Guillermo. “Imaginário social e formação do mercado de trabalho: o caso do Nordeste açucareiro do Brasil no século XIX”. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, número 31, São Paulo, junho de 1996, pp.123-39.

PAMPLONA, Marco A. A Historiografia sobre o protesto popular: uma contribuição para o estudo das revoltas urbanas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n.17, 1996, pp. 215-238.

SAAVEDRA, Renata. Gestão populacional e conflito no oitocentos: o recenseamento frustrado em 1852. In: ABREU, Martha; PEREIRA, Matheus Serva (orgs). Caminhos da liberdade: histórias da abolição e do pós-abolição no Brasil. Niterói: PPGHistória - UFF, 2011, pp.164-177.

SALLES, Ricardo. Nostalgia Imperial: a Formação da Identidade Nacional no Brasil do Segundo Reinado. Rio de Janeiro: Topbooks, 1996.

SCOTT, James C. Seeing Like a State: How certain schemes to improve the human condition have failed. New Haven: Yale University Press, 1998.

SECRETO, María Verónica. Sem medida: revoltas no Nordeste contra as medições imperiais. In: V Congresso Brasileiro de História Econômica, VI Conferencia Internacional de História das Empresas, 2003, Caxambú. V Congresso Brasileiro de História Econômica, VI Conferencia Internacional de História das Empresas, 2003.

SILVA, Wellington Barbosa da. A Formação dos aparatos policiais no Recife oitocentista (1830-1850). In: Almeida, Suely Creusa; Silva, Giselda Brito. Ordem & Polícia: controle político-social e as formas de resistência em Pernambuco nos séculos XVII ao XX. Recife: Ed. Universitária da UFRPE, 2007; pp..69-105.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

THOMPSON, E. P. Senhores e Caçadores: a origem da Lei Negra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

URICOECHEA, Fernando. O minotauro imperial: a burocratização do Estado patrimonial brasileiro no século XIX. Rio de Janeiro: Difel, 1978.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas