Economia e tráfico de africanos escravizados na Paraíba da primeira metade do século XIX

Matheus Guimarães

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar o resultado de pesquisa acerca do comércio de africanos/as escravizados/as para a capitania/província da Paraíba na primeira metade do século XIX. Os estudos sobre escravidão no Brasil têm avançado significativamente, entretanto, algumas lacunas ainda precisam ser preenchidas. Uma delas consiste em abordar os portos não centrais para o comércio atlântico de escravizados/as, como era o exemplo da Paraíba. Outra lacuna refere-se ao comércio interno existente antes de 1850, período que marca o fim do tráfico atlântico e intensifica o comércio intraprovincial.

Palavras-chave


Escravos; Africanos; Tráfico; Paraíba

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Horácio de. História da Paraíba. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1978. 2 volumes. [1ª edição do volume 1 de 1966].

CARREIRA, Antônio. As Companhias Pombalinas: de Grão-Pará e Maranhão e Pernambuco e Paraíba. Lisboa: Editorial Presença, 1980.

CARVALHO, Marcus J. M. de. A repressão tráfico atlântico de escravos e a disputa partidária nas províncias: os ataques aos desembarques em Pernambuco durante o governo praieiro, 1845-1848. Tempo. Revista do Departamento de História da UFF, v. 27, 2009, p. 151-167.

CARVALHO, Marcus J. M. de. O desembarque nas praias: o funcionamento do tráfico de escravos depois de 1831. Revista de Historia (USP), v. 167, 2012, p. 223-260.

CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da Política Exterior do Brasil. 3 ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2008.

CHAVES JÚNIOR, Inaldo. “As duras cadeias de hum governo subordinado”: história, elites e governabilidade na Capitania da Paraíba (c.1755-1799). Dissertação de Mestrado em História. Instituto de Ciências Humanas e Filosofia – UFF, 2013.

GUIZELIN, Gilberto da Silva. Comércio de almas e política externa: a diretriz atlântico-africana da diplomacia imperial brasileira (1822-1856). Londrina: Eduel, 2013

LUNA, Francisco Vidal; KLEIN, Herbert S. Escravismo no Brasil. São Paulo: Edusp: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

MARIANO, Serioja. Gente opulenta e de boa linhagem: família, política e relações de poder na Paraíba (1817-1824). João Pessoa: Editora da UFPB, 2013

MARIZ, Celso. Evolução econômica da Paraíba. 2 ed. João Pessoa: A União, 1978.

MARQUESE, Rafael; TOMICH, Dale. O Vale do Paraíba escravista e a formação do mercado mundial do café no século XIX. In.: GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo (orgs). O Brasil Imperial: 1831-1870. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 339-386. Volume 2.

MEDEIROS, Maria do Céu. O trabalho na Paraíba Escravista. In.: ______; SÁ, Ariane Norma de Menezes. O trabalho na Paraíba: das origens à transição para o trabalho livre. Editora Universitária/Ufpb, 1999, p. 17-99.

MELLO, José Octávio de Arruda. História da Paraíba: lutas e resistências. 11 ed. João Pessoa: A União, 2008.

NASCIMENTO FILHO, Carmelo. Fronteira Móvel: os homens livres pobres e a produção do espaço da Mata Sul da Paraíba (1799-1801). Dissertação (Mestrado em Geografia). Centro de Ciências Exatas e da Natureza. Universidade Federal da Paraíba. 2006.

PAIVA, Yamê Galdino de. Capitania da Paraíba: população e circuitos mercantis na virada para o século XIX. Monografia (Licenciatura em História). Centro de Ciências Humanas Letras e Artes. Universidade Federal da Paraíba. 2009.

PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2006.

REIS, João José; GOMES, Flávio dos Santos; CARVALHO, Marcus J. M. de. O Alufá Rufino: tráfico, escravidão e liberdade no Atlântico negro (c.1822 – c. 1853). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

RODRIGUES, Jaime. O Infame Comércio: propostas e experiências no final do tráfico de africanos para o Brasil (1800-1850). Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2000.

RUSSEL-WOOD, A J. R. Fidalgos e Filantropos. A Santa Casa de Misericórdia da Bahia, 1550 – 1755. Tradução de Sérgio Duarte. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1981.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2017.35.1.al.08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas