Arranjos eleitorais no processo de eleições em Minas Gerais na década de 1860

Michel Saldanha

Resumo


Este artigo analisa as eleições ocorridas na província de Minas Gerais na década de 1860. A hipótese defendida é que o processo eleitoral era realizado não apenas mediante os aspectos formais, como também através de seus aspectos informais. E, portanto, concentraremos nos aspectos informais das eleições que desenvolviam-se em torno dos arranjos traçados para a vitória nas urnas, tais como a formação de chapas eleitorais, a aproximação entre dirigentes e votantes, e desvios das regras formais.

Palavras-chave


Eleições, Arranjos eleitorais, Minas Gerais, Década de 1860

Texto completo:

PDF

Referências


BINETTI, Saffo. Doutrina. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco (Orgs.). Dicionário de política, vol. 1. 11ª ed. Brasília: Editora UNB, 1998, p. 381-382.

BUENO, José Antônio P. Direito público brasileiro e análise da constituição do Império. In: KUGELMAS, Eduardo. (Org.). José Antônio Pimenta Bueno, marquês de São Vicente. São Paulo: ed. 34, 2002.

BUESCO, Mircea. No centenário da Lei Saraiva. Revista IHGB, n. 330, p. 179-186, jan./mar. 1981.

CARVALHO, José M. de. A involução da participação eleitoral no Brasil, 1821- 1930. In: CARVALHO, José M de; CAMPOS, Adriana P. (Orgs.). Perspectivas da cidadania no Brasil Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011, p. 37-58.

DUSO, Guiseppe. Conceptos políticos y realidad en la época moderna. Historia y Grafia, v. 22, n. 44, p. 17-46, enero/junio 2015.

DUSO, Guiseppe. Pensar la democracia más allá de las elecciones. Conceptos Históricos, v. 2, n. 2, p. 40-76, 2016.

FARIA, Vanessa S. O processo de qualificação de votantes no Brasil Império: perfil da população votante do distrito sede de Juiz de Fora, Minas Gerais (1872-1876). Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2011.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997.

GUERRA, François-Xavier. El soberano y su reino. Reflexiones sobre la génesis del ciudadano en América Latina. In: SABATO, Hilda. (Coord.). Ciudadanía política y formación de las naciones. México, D. F.: Fondo de Cultura Económica, 1999, p. 33-61.

GUERRA, François-Xavier. Modernidad e independencias. México, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 2000.

IGLÉSIAS, Francisco. Vida política, 1848-1868. In: HOLANDA, Sérgio B. (Org.). O Brasil Monárquico, v. 5. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004, p. 17-139.

LIMONGI, Fernando. Revisitando as eleições do Segundo Reinado: manipulação, fraude e violência. Lua Nova, n. 91, p. 13-51, 2014.

LINHARES, Maria Y. As listas eleitorais do Rio de Janeiro no século XIX. Projeto de classificação socioprofissional. Cahiers du monde hispanique et luso-brésilien, n. 22, p. 41-67, 1974.

LUCA, Tânia R. de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla B. (Org.). Fontes históricas. 2ª ed. São Paulo: Contexto, 2008, p. 111-154.

MUNARI, Rodrigo. M. Deputados e delegados do poder monárquico: eleições e dinâmica política na província de São Paulo (1840-1850). Dissertação (mestrado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2018.

PANDOLFI, Fernanda C. A viagem de D. Pedro I a Minas Gerais em 1831: embates políticos na formação da monarquia constitucional no Brasil. Revista Brasileira de História, v. 36, n. 71, p. 35-55, 2016.

ROSANVALLON, Pierre. La legitimidad democrática. Buenos Aires: Manantial, 2009.

ROSANVALLON, Pierre. La sociedad de iguales. Buenos Aires: Manantial, 2015.

ROSAS, Suzana C. Eleições, cidadania e cultura política no Segundo Reinado. Revista Clio, n. 20, p. 83-101, 2002.

SALDANHA, Michel. A imprensa periódica doutrinária em Minas Gerais na década de 1860. Revista Faces de Clio, v. 6, n. 11, p. 396-413, jan./jun. 2020.

SOARES, Rodrigo G. Estratificação profissional, desigualdade econômica e

classes sociais na crise do Império. Notas preliminares sobre as classes imperiais. Topoi, v. 20, n. 41, p. 446-489, mai./ago. 2019.

SOUZA, Francisco B. S. de. O sistema eleitoral no Império. Brasília: Senado Federal, 1979.

TINHORÃO, José R. História Social da Música Popular Brasileira. 2ª ed. São Paulo: Ed. 34, 2010.

VELLASCO, Ivan de A. Clientelismo, ordem privada e Estado no Brasil oitocentista: notas para um debate. In: CARVALHO, José M. de; NEVES, Lúcia M. B. P. (Orgs.). Repensando o Brasil do oitocentos: cidadania, política e liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 71-100.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2021.39.1.05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291