Educação e trabalho: a função ‘regeneradora’ das escolas nas cadeias da Parahyba do Norte

Suenya Nascimento Costa

Resumo


Este artigo tem por objetivo abordar uma experiência de aulas primárias aos presos de cadeias da Província da Parahyba do Norte. As aulas nas cadeias fizeram parte do cotidiano prisional no século XIX, sob o discurso de “regeneração dos crimes” buscavam ofertar apenas uma instrução elementar e oficinas para o trabalho cujo objetivo era formar sujeitos capazes de realizar uma ocupação útil, conforme o pensamento da época. Criou-se, neste processo, uma cultura escolar específica marcada pela relação entre a disciplinarização do ambiente escolar e do ambiente carcerário, numa perspectiva intimamente relacionada com a formação de um “homem ordeiro”, “útil” e “moralizado”.

Palavras-chave


História da Educação, Aulas, Trabalho, Cadeias

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

BRASIL. Constituição Política do Império do Brazil. Rio de. Janeiro, 1824. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao24.htm. Acesso em 4 de março de 2020.

BRASIL. Lei nº 261, de 3 de dezembro de 1841. Reforma do código de processo criminal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lim/LIM261.htm. Acesso em: 14 de janeiro de 2020.

BOTO, Carlota. A Escola do Homem Novo: Entre o Iluminismo e a Revolução Francesa. SP: Ed.UNESP, 1996.

CHIES, Luiz Antônio Bogo. A capitalização do tempo social na prisão: a remição no contexto das lutas de temporalização na pena privativa de liberdade. Tese (Doutorado) – IFCH, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

COSTA, Suênya do Nascimento. As ideias educacionais e políticas de Silvino Elvídio Carneiro da Cunha na província da Parahyba do Norte (1874 – 1876). Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, 2017. 128p.

CURY, Cláudia Engler; SOUZA, Thiago Oliveira de. Os Jornais Paraibanos do Século XIX como fonte para História da Educação (1858-1889). VII Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. São Luis, 2010. Disponível em: http://www.carlamaryoliveira.pro.br/gheno/PDF/Claudia_Cury_Thiago_Souza.pdf. Acesso em: 15 de dezembro de 2019.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. A legislação escolar como fonte para a História da Educação: uma tentativa de interpretação. In:

FARIA FILHO (Org), L.M.; GONDRA, J.G; VIDAL, D. G. DUARTE, R. H. Educação, modernidade e civilização: fontes e perspectivas de análises para a história da educação oitocentista. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Instrução elementar no século XIX. In: LOPES, Eliane Marta T; FARIA FILHO, Luciano M. de; VEIGA, Cyntia G. 500 anos de educação no Brasil. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 135-150.

JORNAL DA PARAHYBA, Parahyba do Norte. 08 de julho de 1882. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=704989&PagFis=190&Pesq=cadeas. Acesso em 12 de março de 2020.

MAIA, Clarissa Nunes; NETO, Flávio de Sá Cavalcanti de Albuquerque. O trabalho prisional na casa de detenção do Recife no século XIX. Passagens Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica, Rio de Janeiro: vol. 3, n. 2, maio – agosto, 2011, p. 187- 202.

MOREL, Marco; BARROS, Mariana Monteiro. Palavra, imagem e poder. O surgimento da imprensa no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

NERY, Vítor Sousa Cunha; FRANÇA, Maria do Perpétuo Socorro Gomes de. Disseminação da instrução pública primária na província do Pará na década de 1870. Revista Temas em Educação, João Pessoa, v.23, n.2, jul.-dez. 2014. p. 82-100. Disponível em https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/20906. Acesso em 16 de julho de 2019.

O LIBERAL PARAHYBANO, Parahyba do Norte. Edição 00132. 12 de junho de 1882. n.p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=704989&PagFis=190&Pesq=cadeas. Acesso em 12 de dezembro de 2019.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório Provincial. Relatório com que o exm. Sr. 1º vice-presidente dr. Antônio Alfredo da Gama e Mello passou a administração desta província ao sr. Exm. Sr. Manoel Ventura de Barros Leite Sampaio no dia 21 de maio de 1882. 1882. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u521/000004.html. Acesso em 12 de dezembro de 2019.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório Provincial Relatório apresentado a assembleia legislativa provincial da Parahyba do norte pelo presidente exm sr. Dr. Manoel Ventura de Barros Leite Sampaio, em 4 de outubro de 1882. 1882a. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/titles/178#?c=0&m=80&s=0&cv=5&r=0&xywh=-1168%2C-49%2C4015%2C2832. Acesso em 24 de fevereiro de 2020.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório do chefe de polícia, 1882b, Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/608/000036.html. Acesso em: 22 de fevereiro de 2020.

SANT´ANNA, Marilene Antunes. Os espaços das prisões no Rio de Janeiro do século XIX. Anais das Jornadas de 2007. Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: https://revistadiscenteppghis.files.wordpress.com/2009/05/marilene-antunes-os-espacos-das-prisoes-no-rio-de-janeiro-do-seculo-xix.pdf. Acesso em 27 de dezembro de 2019.

SLEMIAN, Andrea. À nação independente, um novo ordenamento jurídico: a criação dos Códigos Criminal e do Processo Penal na primeira década do Império do Brasil. In RIBEIRO, Gladys Sabina (org). Brasileiros e cidadãos. Modernidade Política (1822 – 1930). São Paulo: Alameda, 2008.

SOUSA, Ione Celeste Jesus de. Educar para a regeneração: a escola elementar da casa de prisão da Bahia-1871 a 1890. Anais. V Congresso Brasileiro de história da Educação: Aracaju. 2008. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe5/. Acesso em: 16 de julho de 2019.

VASQUEZ, Eliane Leal. Ciência Penitenciária no Brasil Império: disciplinar para construir a imagem de nação civilizada. Tese (doutorado em História da Ciência). Pontifica Universidade Católica de São Paulo, SP, 2013.

VEIGA, Cintia Greive. Escola pública para os negros e os pobres no Brasil: invenção imperial. Revista Brasileira de Educação. v.13, n. 39, 2008, p. 502 – 516.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2021.39.1.06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291