Instituições entre disputas de poder e a remoção dos párocos em Minas Gerais

Júlia Lopes Viana Lazzarini

Resumo


Das origens lusas do catolicismo brasileiro herdou-se o padroado régio, que marcou todo o processo de colonização portuguesa e deixou seu legado ao Brasil independente. Um “padroado provincial”, supostamente legitimado a partir do Ato Adicional 1834, passou a dar margens para a ação do governo provincial de Minas Gerais em assuntos eclesiásticos, desencadeando uma série de conflitos entre os poderes civil e eclesiástico e entre a própria Assembleia Geral e a Assembleia Provincial de Minas Gerais. Tal emaranhado de disputas de poder é o que pretendemos entender ao longo deste artigo.

 


Palavras-chave


Igreja, Estado, Regências, Minas Gerais

Texto completo:

PDF

Referências


AZZI, Riolando. A instituição eclesiástica durante a primeira época colonial. In: HOORNAERT, Eduardo (coord.). História da Igreja no Brasil, Tomo II/1. Petrópoles: Vozes, Edições paulinas, 1992.

BASILE, Marcello O. C. N. Laboratório da nação: a era regencial (1831-1840). IN: GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo (orgs.). O Brasil Imperial, volume II, 1831-1870. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2017.

BRASIL. Congresso. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e Informação. O

Clero no Parlamento Brasileiro. Brasília; Rio de Janeiro, Fundação Casa de Rui Barbosa, vol. 3, 1978-1980

CASTRO, Paulo Pereira de Castro. A experiência republicana, 1831-1840. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. O Brasil Monárquico: dispersão e unidade. São Paulo: DIFEL, 1985.

CASTRO, Zília Osório de. Antecedentes do regalismo pombalino. IN: Estudos em homenagem a João Francisco Marque. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2002. Disponível em: https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/2839.pdf

FIALHO, Rodrigo. Nos arquivos pelas fontes: A trajetória incompleta de Luiz José Dias Custódio, um português que viveu no Brasil no século XIX, percursos de uma pesquisa constante. Revista Verbo de Minas, Juiz de Fora, v. 18, n. 31, p. 6-22, Jan./jul. 2017,

FRAGOSO, Hugo. A Igreja na formação do Estado liberal. IN: BEOZZO, José Oscar et. all. História da Igreja no Brasil. Segunda época. Petrópolis: Ed. Vozes, 1992

NEVES, Guilherme Pereira das. A religião do Império e a Igreja. In: GRINBERG, Keila e SALLES, Ricardo (orgs,). O Brasil imperial. Volume I – 1808-1831. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009

OLIVEIRA, Kelly Eleutério Machado de. A Assembleia provincial de Minas Gerais e a formação do Estado nacional brasileiro, 1835-1845. Tese (doutorado em História). Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2018.

REPRESENTANTES de Minas Gerais. Revista do Arquivo Público Mineiro. Ouro Preto: Imprensa Oficial de Minas Gerais, ano 1, fascículo 1, 1896. p. 23-95.

SANTIROCCHI, Ítalo Domingos. Questão de Consciência: os ultramontanos no Brasil e o regalismo do Segundo Reinado (1840-1889). Belo Horizonte: Fino Traço, 2015

SOUZA, Françoise Jean O. Do Altar à Tribuna: os padres políticos no contexto de formação do Estado Nacional Brasileiro (1823-1841). Tese (Doutorado em História). Rio de Janeiro: UERJ, 2010.

SOUSA, Octávio Tarquínio de. História dos Fundadores do Império do Brasil:Diogo Antônio Feijó. Belo Horizonte: Itatiaia. São Paulo: EDUSP, 1988.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2021.39.1.09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291