Negócios de família: políticos, traficantes de escravizados e empresários pernambucanos no século XIX

Amanda Barlavento Gomes

Resumo


Francisco Antonio de Oliveira e seu filho Augusto Frederico de Oliveira foram comerciantes Pernambucanos de grosso trato que lidaram entre outras formas de comércio, com o tráfico atlântico de escravizados. Com a proximidade da lei antitráfico de 1831, eles aderiram às novas formas de investimento moderno de capitais e passaram a buscar novos campos de atuação na política e na fundação de empresas, envolvendo-se com personalidades importantes dentro e fora do Império do Brasil. Este artigo investiga a atuação política desses personagens que ocuparam os cargos de vereador e deputado geral, como eles defenderam os interesses familiares e como suas conexões com políticos e comerciantes foram importantes elementos para a continuidade do legado da familiar.

 


Palavras-chave


Política, Vereador, Deputado, Negociante

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, José Thomaz Nabuco de. Justa Apreciação do predomínio do Partido Praieiro ou História da dominação da Praia. Pernambuco: Typographia Nacional, 1847.

BERTRAND, Michel. De La família a La red de socibilidad. Revista Mixicana deSociologia. N° 2, Vol 61. Abril e Junho de 1999. pp. 107 –135.

BETHELL, Leslie. A Abolição do Comércio de Escravos. Brasília: Senado Federal, 2002.

BOURDIEU, Pierre. Sobre el campo político. Conversacion com Philippe Fritsch, Lyon, 11 febrero de 1999. Lyon: Press Universitaires de Lyon, 2000.

CADENA, Paulo Henrique Fontes. O Vice-Rei Pedro de Araújo Lima e a governança do Brasil no século XIX. Orientador: Marcus J. M. de Carvalho. Tese de Doutorado. PPGH – UFPE, 2018.

CADENA, Paulo Henrique Fontes. Ou há de ser Cavalcanti, ou há de ser cavalgado: trajetórias políticas dos Cavalcanti de Albuquerque (Pernambuco, 1801 – 1844). Recife: Editora Universitária da UFPE, 2013.

CÂMARA, Bruno Augusto Dornelas; CARVALHO, Marcus J. M. de. A Insurreição Praieira. Almanak Braziliense, n° 8, novembro de 2008.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem. Teatro das sombras. (9ª ed.) Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

CARVALHO, Marcus J. M. de. Liberdades, rotinas e rupturas do escravismo no Recife, 1822 – 1850. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010.

CARVALHO, Marcus J. M. de. O desembarque nas praias. Revista de História. nº 167, São Paulo, Julho/ Dezembro, 2012.

CARVALHO, Marcus J. M. de. O Patacho Providência, um navio negreiro: política, justiça e redes depois da lei antitráfico de 1831. Varia Historia. N°54, Vol. 30. setembro/dezembro, 2014.

CARVALHO, Marcus J. M. de. Cavalcantis e cavalgados: a formação das alianças políticas em Pernambuco, 1817 –1824. Revista Brasileira de História. N°36, Vol. 18. São Paulo, 1998.

CAVALCANTI JUNIOR, Manoel Nunes. “O egoísmo, a degradante vingança e o espírito de partido”: A História do predomínio Liberal ao Movimento Regressista (Pernambuco, 1834 – 1837). Tese de Doutorado. PPGH – UFPE, 2015.

DOLHNIKOFF, Miriam. O lugar das elites regionais. Revista USP. n° 58, São Paulo, julho/agosto2003. p. 116-133.

DOURADO, Bruna Iglesias. Comércio de Grosso trato e interesses mercantis no Recife, Pernambuco (c. 1837 –c. 1871): A trajetória do Negociante João Pinto de Lemos. Dissertação de Mestrado. PPGH UFF, 2015.

FRAGOSO, João. Barões do Café e sistema agrário escravista: Paraíba do Sul/Rio de Janeiro (1830-1888). Rio de Janeiro: 7 letras, 2013.

FRAGOSO, João; FLORENTINO, Manolo. O arcaísmo como projeto: mercado atlântico, sociedade agrária e elite mercantil em uma economia colonial tardia, Rio de janeiro, c.1790- c.1840. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GOMES, Amanda Barlavento. Tráfico de escravos e outros investimentos modernos em Pernambuco no século XIX: Os capitalistas Barão de Beberibe & Filho. Anais do IV Encontro do Núcleo de Estudos do Mundo Atlântico (NEMAt) e II Encontro Nacional do Núcleo de Estudos de Impérios Coloniais (NEIC). Recife: Editora da UFPE, 2019.

GOMES, Amanda Barlavento. A trajetória de vida do Barão de Beberibe: Um traficante de escravos no Império do Brasil (1821-1855). Dissertação de Mestrado. PPGH-UFPE, 2016.

GRIMBERG, Keila; SALLES, Ricardo (orgs.). O Brasil Imperial (1831-1870) Vol. II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

GUIMARÃES, Carlos Gabriel. A Presença Inglesa nas finanças e no comércio no Brasil Imperial: os casos da Sociedade Bancária Mauá, MacGregor & Cia. (1854 – 1866) e da firma inglesa Samuel Phillips & Cia. (1808 – 1840). São Paulo: Alameda, 2012.

JANARGIN, Laura. A Confluence of Transatlantic Networks: Elites, Capitalism, and Confederate migration to Brazil. The University Alabama Press, 2008.

MACEDO, Joaquim Manoel de. Suplemento do Anno Biographico, 1820-1882. Vol. 1. Rio de Janeiro: Typographia Perseverança, 1880.

MAMIGONIAN, Beatriz; GRINBERG, Keila. Dossiê: “Para Inglês ver” Revisitando a lei de 1831. Revista estudos Afro-Asiáticos n° 1-2-3, 2007.

MARC, Alfred; FERRÃO, M. J. G. d’Argollo (ed.). Le Brésil: excursion à travers ses 20 provinces. Tome 1. Paris: Bibliothèque Nationale de France, 1890.

MARSON, Izabel Andrade. O império do Progresso: a Revolução Praieira. São Paulo: Brasiliense, 1987.

PARRON, Tâmis. A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

PEDREIRA, Jorge. Os homens de negócio da praça de Lisboa de Pombal ao Vintismo (1755 –1822): diferenciação, reprodução e identificação de um grupo social. Lisboa, Tese de Doutorado. Universidade Nova de Lisboa, 1995.

PINHEIRO, Luana Simões. Vozes femininas na política: uma análise sobre mulheres parlamentares no pós-constituinte. Brasília: Secretaria Especial de Política para as mulheres, 2007.

QUINTAS, Amaro. O sentido social da Revolução Praieira. Recife: CEPE, 2011.

RIBEIRO, Alan dos Santos.“The Leading Commissions-House of Rio de Janeiro”: A firma Maxuell Whrigth & C.o. no comércio do Império do Brasil (c. 1827-1850). Dissertação (Mestrado). UFF, 2014.

SOUSA, Fernando de (coord.). A Companhia e as relações econômicas de Portugal com o Brasil, a Inglaterra e a Rússia. Porto: CEPESE –Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade, 2008.

SOUZA, George Félix Cabral de. Elite y ejercicio de poder en el Brasil colonial: la Cámara Municipal de Recife (1710-1822). Tese de Doutorado – Universidad de Salamanca: Salamanca, 2007.

SOUZA, Williams Andrade de. Administração, Normatização e Civilidade: A Câmara Municipal do Recife e o governo da cidade (1829 – 1849). UFRPE, Dissertação de Mestrado, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.2.10

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas