Uma trama de fios discretos: alianças interprovinciais das sociedades públicas de Pernambuco (1831-1832)

Ivan Soares

Resumo


Após as agitações e motins de 1831, Pernambuco veria o surgimento de duas importantes associações políticas, a Sociedade Federal e a Sociedade Patriótica Harmonizadora. Naquele agitado ano, toda as pessoas tomaram conhecimento da fraqueza do Governo Provincial. Em conta disso, as sociedades, representando interesses e pretensões das facções políticas, disputaram a influência nas decisões políticas do Governo. Os indícios apontam que as sociedades públicas de Pernambuco construíram importantes alianças com sociedades de outras províncias, o que é um indicativo da robusta coesão desses grupos para a execução de determinados projetos de poder.

Palavras-chave


sociedades públicas; centralização; federação; política.

Texto completo:

PDF

Referências


BASILE, Marcello O. N. de C.Deputados da Regência: perfil socioprofissional, trajetórias e tendências políticas. In: CARVALHO, José Murilo de; CAMPOS, Adriana Pereira (org.). Perspectivas da cidadania no Brasil Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011, p. 89-121.

BASILE, Marcello O. N. de. O Império em construção: projetos de Brasil e ação política na Corte regencial. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: PPGHIS-UFRJ, 2004.

BASILE, Marcello O. N. de. O Laboratório da nação: a era regencial (1831-1840). In: GRINBERG, K.; SALLES, R. O Brasil imperial – vol. II – 1831-1889. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009. p. 53-119.

BASILE, Marcello O. N. de. Projetos de Brasil e construção nacional na imprensa fluminense (1831-1835). In: NEVES, Lúcia M. B. P.; MOREL, Marco; FERREIRA, Tania M. B. da C. (orgs.). História e imprensa: representações culturais e práticas de poder. Rio de Janeiro: DP&A: Faperj, 2006, p. 61.

BASILE, Marcello O. N. de. Regência e imprensa: percursos historiográficos. In: Almanack, Guarulhos, n. 20, 2018, p. 1-9.

BASILE, Marcello O. N. de. Sociabilidade e ação políticas na Corte regencial: a Sociedade Defensora da Liberdade e Independência Nacional. In: Dimensões, n. 18, 2006, p. 349-383.

BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario bibliographico brazileiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1883.

CADENA, Paulo Henrique F. Ou há de ser Cavalcanti, ou há de ser cavalgado: trajetórias políticas dos Cavalcanti de Albuquerque (Pernambuco, 1801-1844). Recife: o autor, 2011.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial – Teatro das sombras: a política imperial. 4a ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2007.

CARVALHO, José Murilo de. Pontos e bordados: escritos de história política. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

CASTRO, Paulo Pereira de. A “experiência repúblicana”, 1831-1840. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História Geral da Civilização Brasileira, Tomo II, 2º volume: Dispersão e Unidade. São Paulo: DIFEL, 1978, p. 9-67.

CAVALCANTI JUNIOR, M. N. “O egoísmo, a degradante vingança e o espírito de partido”: a história do predomínio liberal ao movimento regressista (Pernambuco, 1834-1837). Recife: O autor, 2015.

CAVALCANTI JUNIOR, M. N. Cultura política no Brasil Império: os liberais exaltados pernambucanos (1831-1840). In: VIII Encontro Estadual de História, ANPUH-BA, 2016, sp.

CAVALCANTI JUNIOR, M. N. Revisitando as Carneiradas: is irmãos Machado Rios e as disputas políticas em Pernambuco (1834-1835). In: In: Clio – Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco, v. 33, n.º 1, 2015, p. 45-65.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. A interiorização da Metrópole (1808-1853). In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1973.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil do século XIX. São Paulo: Globo, 2005.

FERRAZ, Socorro. Liberais & Liberais: Guerras civis em Pernambuco no século XIX. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1996.

FONSECA, Silvia Carla Pereira de Brito. A ideia de república no Império do Brasil: Rio de Janeiro e Pernambuco (1824-1834). SP: Jundiaí, Paco Editorial, 2016.

FONSECA, Silvia Carla Pereira de Brito. A linguagem republicana em Pernambuco (1824-1835). In: Varia História, Belo Horizonte, vol. 27, nº 45, 2011, p. 47-73.

FONSECA, Silvia Carla Pereira de Brito. Federação e República na Sociedade Federal de Pernambuco (1831-1834). In: SAECULUM - Revista de História, nº 14, João Pessoa, 2006, 56-73.

GUIMARÃES, Lucia Paschoal. Liberalismo moderado: postulados ideológicos e práticas políticas no Período Regencial (1831-1837). In: GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal; PRADO, Maria Emília (orgs.). O liberalismo no Brasil imperial: origens, conceitos e prática. Rio de Janeiro: Revan: UFRJ, 2001.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Capítulos de História do Império. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo Saquarema. São Paulo: Hucitec, 1987.

MELLO, Antônio Joaquim de. Biografia de Gervásio Pires. Recife, 1985. Disponível em:https://archive.org/details/biographiadeger00mellgoog/page/

MOREL, M.; SOUZA, F. J. O. O Poder da Maçonaria: a História de uma Sociedade Secreta no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

MOREL, Marco. As transformações dos espaços públicos: imprensa, atores políticos e sociabilidades na Cidade Imperial (1820-1840). São Paulo: Hucitec, 2005.

MOREL, Marco. O Brasil separado em reinos? A Confederação Caramuru no início dos anos 1830. In: CARVALHO, J. M.; CAMPOS, A. P. Perspectivas da cidadania no Brasil Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

MOREL, Marco. O período das regências (1831-1840). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2003.

MOSHER, Jeffrey C. Political Struggle, ideology and state building: Pernambuco and the construiction of Brazil (1817-1850). University of Nebraska, 2008.

NABUCO, Joaquim. Um Estadista do Império: Nabuco de Araújo, sua vida, suas opinões, sua época. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1936.

NASCIMENTO, Luiz do. História da Imprensa de Pernambuco (1821-1954). Vol. IV: Periódicos do Recife - 1821-1954. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 1969.

NEEDELL, Jeffrey D. Formação dos partidos políticos no Brasil da Regência à Conciliação, 1831-1857. In: Almanack Braziliense. São Paulo, nº 10, nov. 2009, p. 5-22.

NEVES, Lúcia Maria Basto Pereira das. Corcundas e constitucionais: cultura e política (1820-1822). Rio de Janeiro: Revan: FAPERJ, 2003.

PEREIRA DA COSTA, Francisco Augusto. Anais Pernambucanos 1824-1833. Vol. IX. Recife-PE, Arquivo Público Estadual, 1965.

PEREIRA DA COSTA, Francisco Augusto. Dicionário Biográfico de Pernambucanos Célebres. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 1982.

QUINTAS, Amaro. O Nordeste, 1825-1850. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História Geral da Civilização Brasileira, Tomo II, 2º volume: Dispersão e Unidade. São Paulo: DIFEL, 1978, p. 193-241.

SOUSA, Otávio Tarquínio de.História dos fundadores do Império do Brasil. Vol 4. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2015.

WERNET, Augustin. O Período Regencial: 1831-1840. São Paulo: Global, 5ª ed., 1982.

WERNET, Augustin. Sociedades Políticas (1831-1832). São Paulo: Cutrix, 1978.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2021.39.1.15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291