O visconde da Parnaíba e a construção da ordem imperial na província do Piauí

Pedro Vilarinho Castelo Branco

Resumo


Este estudo analisa a trajetória de Manuel de Sousa Martins, o Visconde da Parnaíba, um dos personagens centrais da História do Piauí Oitocentista. O argumento tem início com a definição da sua trajetória de vida, da sua construção como homem dentro das condições existenciais do Piauí, no final do século XVIII. Em seguida, a análise se direciona para a militância política, propriamente dita, procurando entender como ele se envolveu no jogo do poder, criando, para si, um espaço de protagonista, usando a seu favor a cultura política que condicionava as interações entre os potentados locais e o poder central. O artigo se encerra com a análise da longevidade da sua governança no Piauí (1823-1843).


Palavras-chave


império, política, Província do Piauí, construção da ordem

Texto completo:

PDF

Referências


AIDAR, Bruno. Apresentação. História econômica & história de empresas, [s. l.], v. 16, n. 2, p.184, Jun.2014.

ARAÚJO,Johny Santana. O Piauí no processo de independência: contribuição para a construção do Império em 1823.Revista Clio, Recife, 33 v, n.2, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaclio/article/view/24527/19816. Acesso em: 13 jan. 2020.

BRANDÃO, Wilson de Andrade. História da independência no Piauí. Teresina: FUNDAPI, 2006.

CASTELO BRANCO. Miguel Borges Leal. Apontamentos biográficos. Teresina: Academia Piauiense de Letras, 2014.

CERTEAU, Michel. Credibilidades políticas. In: A invenção do cotidiano. 1 v. Petrópolis: Editora Vozes, 2001.

COSTA, F. A. Pereira da. Cronologia histórica do Estado do Piauí. Teresina: Academia Piauiense de Letras / FUNDAC, 2010.

COSTA, Ana Paula Pereira. Organização militar, poder local e autoridade nas conquistas: considerações acerca da atuação dos corpos de ordenanças no contexto do Império português.Revista Tema Livre, Rio de Janeiro, ano VII, n. 13, abril. 2008. Disponível em: http://revistatemalivre.com/militar12-html. Acesso em: 13 jan. 2020.

DOLHNIKOFF, Miriam. O lugar das elites regionais. Revista USP, São Paulo, n.58, jul/ago.2003. p.116-133.

FAORO, Raimundo. Os Donos do Poder. 1 v. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1987.

FAUSTO, Boris. O primeiro reinado. In: História do Brasil. São Paulo: EDUSP, 1995.

GARDNER. Georges. Viagem ao interior do Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1975.

KRAUSE, Thiago Nascimento. Em busca da honra: a remuneração dos serviços da guerra holandesa e os hábitos das ordens militares (Bahia e Pernambuco, 1641-1683). Orientador: Ronald José Raminelli. 2010. 240 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Ciências, Humanas e Tecnologia, UFF, São Paulo, 2010.

LE GOFF, Jacques. Memória. In: história e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994.

MAXWELL, Kenneth. A devassa da devassa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

MAXWELL, Kenneth. Por que o Brasil foi diferente? O contexto da independência. In: Viagem incompleta. A experiência brasileira (1500-2000). São Paulo: Editora SENAC-SP, 2000.

MELLO, Evaldo Cabral de. A outra independência. São Paulo: Editora 34, 2014.

NEVES, Abdias. O Piauí na Confederação do Equador. Teresina: EDUFPI, 1997.

NEVES, Abdias. A guerra do Fidié. Teresina: FUNDAPI, 2006.

NEVES. Lúcia Bastos Pereira das. A vida política. In: História do Brasil Nação(crise colonial e independência 1808 -1831). 1 v. Rio de Janeiro: MAPFRE & Editora Objetiva, 2011.

NUNES, Odilon. Pesquisa para a História do Piauí. 3 v. Teresina: FUNDAPI, 2007.

PEREIRA, Cristiane. Os primeiros presidentes em duas províncias distintas: Goiás e Rio Grande do Sul (1824 -1831), 2017, Brasília. Anais do XXIX Simpósio Nacional de História. Brasília: ANPUH, 2017.

RÊGO. José Expedito. Vaqueiro e Visconde. Teresina: Projeto Petrônio Portela, 1986.

SOUSA, Esmaragdo de Freitas. Homens e episódios. Teresina: Academia Piauiense de Letras, 2015.

VIANA JR, Mário Martins. Masculinidades Compósitas nas capitanias do Norte da América Portuguesa (séculos XVI e XVII). Orientadora: RoselaneNeckel. 2013. 342 f. Tese (doutorado), UFSCA. Florianópolis, 2013. p.34.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2020.38.2.18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas