“Viva el rey”: aclamação e celebração para D. José I em Pernambuco

Noelly Gomes da Silva

Resumo


O presente artigo faz uma análise de algumas festas realizadas para o Rei D. José I em Pernambuco, mais precisamente na vila do Recife e cidade de Olinda, pelas ocasiões da sua aclamação e celebração por sua vida e saúde devido aos acontecimentos do terremoto e atentado. A partir da prática de celebrar o rei sem sua efetiva presença, vemos essas demonstrações como uma forma de trazer o soberano para a localidade com o auxílio de seus representantes formados pelos membros das elites locais, os quais organizavam e participavam destas celebrações. Analisamos essas festas como um recurso eficiente de exaltação do rei e afirmação do poder real, bem como uma forma de demonstração de lealdade e fidelidade ao monarca por parte dos seus vassalos distantes. 


Palavras-chave


D. José I; Festas; Elites locais

Texto completo:

PDF

Referências


A.H.U., avulsos de Pernambuco, Cx. 80, Doc. 6692, 04/03/1756.

A.H.U., avulsos de Pernambuco, Cx. 81, Doc. 6706, 08/05/1756.

A.H.U., avulsos de Pernambuco, Cx. 93, Doc. 7398, 20/04/1760.

A.H.U., avulsos de Pernambuco, Cx. 93, Doc. 7398, 20/04/1760.

A.H.U., avulsos de Pernambuco, Cx. 93, Doc. 7398, 20/04/1760.

ALVES, Joaquim Jaime B. Ferreira. O “magnífico aparato”: formas da festa ao serviço da família real no século XVIII. Separata da revista de História do Centro de História da Universidade do Porto, vol. XII, Porto, 1993. p.181. Disponível em: http://aleph20.letras.up.pt/F/KENF6769A8R3IYC2IRPXU84V7TYIALIKRBQ4YU1FHS13BNY2E3-21039?func=find-b&request=000024995&find_code=SYS&local_base=FLP01&pds_handle=GUEST.

Acesso em: 08/04/2013.

ANPUH, vol. 17, n° 33, 1997. p. 255.

AZEVEDO, João Lúcio de. O Marquês de Pombal e sua época. São Paulo: Alameda, 2004.

BURKE, Peter. A fabricação do rei: a construção da imagem pública de Luís XIV. 2ªed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. p. 19

CHARTIER, Roger. Forma da Privatização. In: História da vida Privada, 3: da Renascença ao Século das luzes. Org. Roger Chartier; tradução Hildergard Feist. São Paulo: Companhia das letras, 2009. p. 165.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. p.110

FURTADO, Júnia Ferreira. Desfilar: a procissão barroca. Revista Brasileira de História. São Paulo:

LOPEZ, Emilio Carlos Rodriguez. 2004. p. 15

LOPEZ, Emílio Carlos Rodriguez. Festas públicas, memória e representação: um estudo sobre manifestações políticas na Corte do Rio de Janeiro, 1808-1822. São Paulo: Humanitas, 2004. pp. 36-37

MAXWELL, Kenneth. Pombal: o paradoxo do iluminismo. São Paulo: Paz e Terra, 1997;

MEGIANI, Ana Paula Torres. O Rei Ausente: festa e cultura política nas visitas dos Filipes a Portugal (1581-1619). São Paulo: Alameda, 2004. p. 42

MELLO, Evaldo Cabral de. Rubro Veio: o imaginário da restauração pernambucana. 3ª ed. São Paulo: Alameda, 2008.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo, 2006. p. 102

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. D. José: na sombra de Pombal. Lisboa: Círculo de Leitores, 2006. p. 263

REVEL, Jacques. Os Usos da Civilidade. In História da vida Privada, 3: da Renascença ao Século das luzes. Org. Roger Chartier; tradução Hildergard Feist. São Paulo: Companhia das letras, 2009. p. 185

SANTIAGO, Camila Fernanda Guimarães. As festas promovidas pelo Senado da Câmara de Vila Rica (1711-1744). Universidade Federal de Minas Gerais. 2001. (Dissertação de Mestrado). p. 12

SANTIAGO, Camila Santiago Guimarães. 2001. p. 39

SILVA, Kalina Vanderlei. “Tão bons, tão fieis e honrados vassalos”- A elite açucareira, os valores barrocos e as celebrações públicas em Pernambuco (Sécs. XVII e XVIII). In: IV Congresso Internacional do Barroco Ibero-americano, 2008, Ouro Preto-MG. Atas do IV Congresso Internacional do Barroco Ibero-Americano. Belo Horizonte: C/Arte, 2006. p.7. Disponível em: http://www.upo.es/depa/webdhuma/areas/arte/4cb/pdf/Kalina%20Vandereli.pdf. Acesso em: 03/05/2013.

SILVA, Kalina Vanderlei. Festa e memória da elite açucareira no século XVII: a Ação de Graças pela Restauração da Capitania de Pernambuco contra os holandeses. In: OLIVEIRA, Carla Mary S.; MENEZES, Mozart Vergetti de; GONÇALVES, Regina Célia. (Org.). Ensaios sobre a América Portuguesa. João Pessoa: Editora Universitária - UFPB, 2009, v. 01.p. 71

SOUZA, George Félix Cabral de. Elite y ejercicio de poder en el Brasil colonial: la Cámara Municipal de Recife (1710-1822). Universidade de Salamanca. Salamanca, 2007. (tese de doutorado). p. 78

SOUZA, Iara Lis Carvalho. 2001, p. 549

SOUZA, Iara Lis Carvalho. Liturgia Real: entre a permanência e o efêmero. In JANCSÓ, István; KANTOR, Iris (Orgs.) Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa, Vol. II. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 546.

SUBTIL, José Manuel. O Terramoto político (1755-1759) Memória e Poder. Portugal: EDIUAL, 2006. p.87


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas