PARA ALÉM DOS LAÇOS SANGUÍNEOS! REDES FAMILIARES E DE PARENTESCO ENTRE LIBERTOS DA COSTA D’ÁFRICA NO RECIFE OITOCENTISTA

Valéria Gomes Costa

Resumo


Um dos efeitos mais danosos do tráfico atlântico e do comércio cativo nas Américas para os africanos e seus descendentes, foi o dilaceramento de seus laços familiares. Para recuperar tamanho dano, as pessoas reconstruíam seus vínculos afetivos e comunitários, baseadas em vários aspectos: por terem sido embarcadas no mesmo porto e/ou no mesmo navio (malungos); por partilharem o mesmo senhor; por trazerem em suas trajetórias de cativeiro e de liberdade experiências semelhantes; ou ainda por manterem vivas suas lembranças com familiares e parentes na África. Neste artigo buscamos descrever a composição familiar e de parentescos de um grupo de libertos africanos cujas experiências sociais estão localizadas no Recife em meados do século XIX. Para seguir esses indivíduos utilizamos testamentos e inventários post-mortem, registros paroquiais e notas de tabelião. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html