A FUGA BACH E O ANO DE 1838.

Regina Horta Duarte

Resumo


A partir da escuta de uma obra de Bach, a Fuga Inacabada, discute-se a questão da unidade do passado histórico e da diferença e repetição, tematizando algumas vozes que se fizeram ouvir no ano de 1838, no Brasil; Domingos Gonçalves de Magalhães (com sua peça "Antônio José"), Martins Pena (com a comédia "O Juiz de Paz da Roça"), Januário da Cunha Barbosa (no discurso de fundação do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro) e Bernardo Pereira de Vasconcellos (no discurso de apresentação do Regulamento do Colégio Pedro II). 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         em 20. Set. 2018 Contador de visitas