O MODERNISMO COMO TRADIÇÃO: MÁRIO DE ANDRADE E A REDESCOBERTA DOS NEGROS NA AMAZÔNIA.

Aldrin Moura de Figueiredo

Resumo


O artigo analisa o papel da Missão de Pesquisas Folclóricas do Departamento de Cultura de São Paulo, na viagem à cidade de Belém do Pará, em 1938. Tomando como fonte de estudo os escritos e correspondências de Mário de Andrade e o material etnográfico organizado por Oneyda Alvarenga, procuro analisar essa viagem de pesquisa como parte da interpretação da cultura material das tradições religiosas da Amazônia, a partir do ângulo de leitura modernista, levado a termo por Mário de Andrade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291