REBELDES E REBELDIAS NA BAHIA DO SÉCULO XIX.

Dilton Oliveira de Araújo

Resumo


Este artigo objetiva apresentar algumas considerações sobre a história política da Bahia nas duas primeiras décadas do Segundo Reinado, destacando problemas relativos à trajetória das lideranças rebeldes que, até o ano de 1838, haviam inquietado a província, liderando rebeliões federalistas e movimentos contra a presença dos portugueses. Após essa fase, continuou a existir uma situação de tensão que, apesar de não ter produzido rebeliões, constituiu-se em efetiva resistência política e cultural local ao projeto de centralização liderado pelo Rio de Janeiro. Pretende, assim, estabelecer algumas bases para a realização de uma pesquisa que consiga superar o consenso relativo dos estudiosos em torno da interpretação de que a Bahia pacificou-se após 1838, além de caracterizar a resistência oferecida pela Bahia ao projeto de nação que, no período estudado, visava submeter as idéias federalistas. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html