O POVO, A GUERRA, A LIBERDADE: UM PROGRAMA POLÍTICO POPULAR DURANTE A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA NA BAHIA (1822-1823).

Sérgio Armando Diniz Guerra Filho

Resumo


O processo de Independência do Brasil teve na Bahia um capítulo a parte. Tropas portuguesas ocuparam a capital — Salvador — e ali permaneceram até 2 de Julho de 1823, quando retiraram-se depois de uma longa e imóvel guerra, para que o Exército Pacificador — formado por voluntários baianos e tropas imperiais e liderado pelas elites baianas — pudesse libertar a cidade e finalmente a província se juntasse ao Império Brasileiro sob o governo de D. Pedro I. Dentro da guerra, porém, autoridades e proprietários tiveram uma preocupação, muitas vezes maior do que com os portugueses, com as classes populares e sua movimentação política, sendo donos de um potencial rebelde pautado por uma experiência política constituída ao longo de décadas. Este artigo busca identificar as formas de participação popular durante a guerra e sua relação com um possível programa popular inaugurado em 1798 na Revolta dos Búzios. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         em 20. Set. 2018 Contador de visitas