O RECIFE NA DÉCADA DE VINTE: MODERNIDADE E IDENTIDADE.

Antonio Paulo de M. Rezende

Resumo


O artigo discute representações da modernidade, o dilema que envolve "o querer ser moderno"e "a resistência ao modernouno Recife da década de 20. Negar ou aceitar a modernidade implica diferentes leituras que a sociedade elabora ao debruçar-se sobre seu passado. Descortinam-se várias matizes da modernidade. Símbolos, imagens, repercussões no meio intelectual, as políticas públicas de modernização do Recife e o controle do cotidiano da cidade. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291