“Cidade Vigiada”, “Cidade Civilizada”: impressões sobre a difícil convivência entre o progresso e a pobreza no Recife Imperial (1830 – 1850)

Grasiela Florêncio Morais

Resumo


Esse trabalho tem como cenário o Recife da primeira metade do século XIX (1830-1850), uma cidade que se pretendia moderna e civilizada. Para isso, contou com as ações empreendidas pelas autoridades citadinas para propor e impor projetos de melhoramentos materiais e morais à capital da província. Ao lado do progresso que se queria imprimir no Recife havia a pobreza que se fazia ostensiva e se espraiava pelos redutos da cidade. Os sujeitos que viviam na pobreza, por sua vez, além de sofrerem com as restrições de sua condição ainda estavam submetidos à vigilância cotidiana das autoridades, portanto o diálogo entre esses atores era tenso. Para discutirmos sobre a temática, nos debruçamos sobre os manuscritos da Câmara Municipal do Recife e das Prefeituras de Comarca, os periódicos Diário Novo e Diário de Pernambuco e os impressos dos Relatórios dos Presidentes de Província.


Palavras-chave


Recife; Progresso; Pobreza

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Aécio Villar de. Nordeste século XIX. João Pessoa: Editora Universitária UFPB, 1980.

ARRAIS, Raimundo. O Pântano e o Riacho: A formação do espaço público no Recife do século XIX. São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 2004.

BARREIRO, José Carlos. Imaginário e viajantes no Brasil do século XIX: cultura e cotidiano, tradição e resistência. São Paulo: UNESP, 2002.

CÂMARA, Bruno Augusto Dornelas. Trabalho livre no Brasil Imperial: o caso dos caixeiros de comércio na época da Insurreição Praieira. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

CARVALHO, Marcus Joaquim Maciel de. Liberdade: rotinas e rupturas do escravismo no Recife, 1822-1850. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1998.

CARVALHO, Marcus Joaquim Maciel de. De Portas Adentro e de Portas Afora: Trabalho doméstico e escravidão no Recife, 1822-1850. In: Afro-Ásia, Salvador, n. 29/30, 2003.

CASTRO, Hebe Maria Mattos de. Ao sul da história: lavradores pobres na crise do trabalho escravo. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, FAPERJ, 2009.

CAVALCANTI JUNIOR, Manoel Nunes. “Praieiros”, “guabirus” e “populaça”: as eleições gerais de 1844 no Recife. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2001.

COSTA, Francisco Augusto Pereira da. Anais Pernambucanos. Recife: FUNDARPE, 1984, vol. 09 (1824 – 1833).

COSTA, Veloso. Alguns aspectos históricos e médicos do Recife. Recife: Editora da Universidade Federal de Pernambuco, 1971.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos: decadência do patriarcado rural e desenvolvimento urbano. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 1998.

GAMA, Miguel do Sacramento Lopes. O Carapuceiro, 19 de junho de 1837, p. 04. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 1983, vol. II.

GONDRA, José. Artes de Civilizar: medicina, higiene e educação escolar na Corte Imperial. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2004.

GRAHAM, Maria. Diário de uma Viagem ao Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1990.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26 ed. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

KOSTER, Henry. Viagens ao Nordeste do Brasil 1793-1820. 11. ed. atual. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2002.

LAPA, José Roberto do Amaral. Os Excluídos: contribuição à história da pobreza no Brasil (1850-1930). Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp/EDUSP, 2008.

LEITE, Glacyra Lazzari. Pernambuco 1817: Estrutura e comportamentos sociais. Recife: FUNDAJ, Ed. Massangana, 1988.

MELLO, José Antonio Gonsalves de. O Diário de Pernambuco e a História Social do Nordeste (1840-1889). Recife: Edição Comemorativa do Sesquicentenário do Diário de Pernambuco, 1975, v. II.

MELLO e SOUZA, Laura de. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. 4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

PAMPLONA, Marco A. A historiografia sobre o protesto popular: uma contribuição para o estudo das revoltas urbanas. Rio de Janeiro: Revista de Estudos Históricos, 1996, nº. 17.

PARAHYM, Orlando. Traços do Recife: ontem e hoje. Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1978.

PECHMAN, Robert Moses. Cidades Estreitamente Vigiadas: o detetive e o urbanista. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2002.

PINTO, Sérgio Maurício Costa da Silva. Família de Negros: entre a pobreza e a herança cultural. Rio de Janeiro: FAPERJ, E-papers, 2009.

REIS, João José. Rebelião escrava no Brasil: a história do levante dos malês em 1835. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SILVA, Leonardo Dantas (Org.). O Carapuceiro: o padre Lopes Gama e o Diário de Pernambuco 1840-1845. Recife: FUNDAJ/Ed. Massangana, 1996.

SILVA, Maciel Henrique Carneiro da. Pretas de honra: trabalho, cotidiano e representações de vendeiras e criadas no Recife do século XIX (1840-1870). Recife: Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.

SILVA, Wellington Barbosa da. Entre a liturgia e o salário: a formação dos aparatos policiais no Recife do século XIX. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

SILVA FILHO, Paulo Alexandre. Desvalorização do Trabalho e Consumo Honorífico em Recife (1837-1844). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.

SOUZA, George Felix Cabral de. Os homens e os modos de governança: a Câmara Municipal do Recife no século XVIII. Recife: Gráfica Flamar, 2003.

THOMPSON, Edward Palmer. Senhores e caçadores: a origem da lei negra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TOLLENARE, Louis François de. Notas Dominicais. Recife: Secretaria de Educação e Cultura de Pernambuco, 1978.

ZANCHETI, Silvio Mendes. O Estado e a cidade do Recife (1836-1889). São Paulo: Tese de doutoramento apresentada à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, 1989.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.21.al.01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas