DE REPENTE “POVO”: MANEIRAS DE PENSAR A PARTICIPAÇÃO POLÍTICA A PARTIR DA CAMPANHA ABOLICIONISTA DE 1884.

Felipe Azevedo Souza

Resumo


Dividido em duas partes o presente artigo analisa, em um primeiro tópico, as concepções de participação política pensadas por Joaquim Nabuco. Mesmo reconhecendo a incapacidade do povo brasileiro para o exercício democrático, Nabuco afirmava que a estrutura do sistema representativo era defectiva e dificultava o desabrochar de uma cultura política mais ampla. Na segunda parte é feita uma análise da forma com que a participação política foi encarada por comentaristas da época, a partir do caso da campanha abolicionista de 1884. Essa eleição que se destacou por uma grande adesão da população, culminou com um conflito armado no local de votação. Segundo os relatos, muitos dos envolvidos eram escravos e libertos que sequer tinham direitos políticos. O conjunto dessas perspectivas coloca em questão a propalada indiferença política de setores sociais marginalizados do direito ao voto.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas