De repente “povo”: maneiras de pensar a participação política a partir da campanha abolicionista de 1884

Felipe Azevedo Souza

Resumo


Dividido em duas partes o presente artigo analisa, em um primeiro tópico, as concepções de participação política pensadas por Joaquim Nabuco. Mesmo reconhecendo a incapacidade do povo brasileiro para o exercício democrático, Nabuco afirmava que a estrutura do sistema representativo era defectiva e dificultava o desabrochar de uma cultura política mais ampla. Na segunda parte é feita uma análise da forma com que a participação política foi encarada por comentaristas da época, a partir do caso da campanha abolicionista de 1884. Essa eleição que se destacou por uma grande adesão da população, culminou com um conflito armado no local de votação. Segundo os relatos, muitos dos envolvidos eram escravos e libertos que sequer tinham direitos políticos. O conjunto dessas perspectivas coloca em questão a propalada indiferença política de setores sociais marginalizados do direito ao voto.


Palavras-chave


Democracia; Raça; Cultura política

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Wlamyra. O jogo da dissimulação: abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo, Companhia das letras, 2009.

ANDERSON, Margaret Lavinia. Practicing Democracy: elections and political culture in Imperial Germany. New Jersey, Princeton University Press, 2000.

BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. MINC – FBN, e-book, sem data.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de M.; AMADO, Janaína (orgs.). Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1996.

CARVALHO, José Murilo de. Os três povos da República. Revista USP, São Paulo, n˚ 59, set-nov. 2003.

COMPARATO, Fábio Konder. Variações sobre o conceito de povo no regime democrático. Estudos Avançados, n˚11, (31), 1997.

COUTY, Louis. A escravidão no Brasil. Rio de Janeiro, Casa de Rui Barbosa, 1988.

DANTAS, Leonardo (org.). Nabuco e a República: textos de Joaquim Nabuco com organização e introdução de Leonardo Dantas. Recife, FUNDAJ, Editora Massangana, 1990.

FAREJOHN, John. PASQUINO, Pasquale. A Teoria da Escolha Racional na Ciência Política: conceitos de racionalidade em teoria política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 16, n˚ 45, fev-2001.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro, UFRJ, 1997.

GOMES, Amanda Muzzi. Fragilidade monarquista: das dissidências políticas de fins do Império às reações na primeira década republicana (1860 – 1900). Rio de Janeiro, tese de doutorado em História, PUC – RJ, 2013.

JOYCE, Patrick. Democratic subjects: the self and social in nineteenth-century England. Cambridge, Cambridge University Press, 1994.

LEHOUCQ, Fabrice. Electoral fraud: causes, types and consequences. Annual Review of Political Sciences, n˚ 6, (1), 2003.

LESSA, Renato. Modos de fazer uma República: demiurgia e invenção institucional na tradição republicana brasileira. Análise Social, 2004, XLVII (3˚), 2012. pp. 509-531.

LIZZERI, Alessandro. PERSICO, Nicola. Why did the elites extend the suffrage? Democracy and the scope of government with an application to Britain’s “Age of Reform”. The Quarterly Journal of Economics, vol. 119, n˚ 2, may-2004.

MAC CORD, Marcelo. Artífices da cidadania: mutualismo, educação e trabalho no Recife oitocentista. Campinas, SP: FAPESP/Editora da Unicamp, 2012.

MACHADO, Maria Helena; CASTILHO, Celso. Tornando-se livre: agentes históricos e lutas sociais no processo de abolição. São Paulo, EDUSP, 2015.

MANIN, Bernard. The principles of representative government. New York, Cambridge University Press, 1997.

NABUCO, Joaquim. Campanha abolicionista do Recife. Eleições de 1884. Discursos de Joaquim Nabuco; Prefácio de Aníbal Falcão; Estudo introdutório de Fernando da Cruz Gouvêa. 2º Ed., Recife, FUNDAJ, Editora Massangana, 1988.

NABUCO, Joaquim. Joaquim. Eleições Liberais e Eleições Conservadoras. Rio de Janeiro, Typographia de G. Leuzinger e Filhos, 1886.

NABUCO, Joaquim. Joaquim. Minha formação. Brasília, Senado Federal, 2009.

OZANAM, Israel. Capoeira e capoeiras: entre a guarda negra e a Educação Física. Recife, Editora Universitária da UFPE, 2015.

ROSAS, Suzana Cavani. Eleições, cidadania e cultura política no Segundo Reinado. Recife, Clio Série História do Nordeste, n˚20, 2002.

SARTORI, Giovani. A teoria da Democracia revisitada: vol. 2 as questões clássicas. São Paulo, Ed. Ática, 1994.

STOKES, Susan. What killed vote buying in Britain?. Yale University, artigo não publicado, disponível em: http://polisci.fsu.edu/csdp/documents/Stokes.pdf (consultado em 15/11/2015).

ZIBLATT, Daniel. Shaping democratic pratctice and the causes of electoral fraud: The case of nineteenth-century Germany. American Political Science Review, vol. 103, n˚ 1, feb-2009.

ZIBLATT, Daniel. How did Europe democratize?. World Politics, 58, jan-




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.1.do.26-51

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas