De lá pra cá: apontamentos da formação Franco-Maçonaria como espaço de sociabilidade e sua influência na construção da Maçonaria no Brasil

Thiago de Souza Junior

Resumo


O movimento de críticas e inovações acerca das perspectivas teórico-metodológicas da historiografia, ocorrido na segunda metade do século XX, fez emergir novos objetos e novas interpretações contribuindo com as investigações do historiador. Deste modo, o presente artigo busca apontar, em consonância com a amplitude dada à noção de sociabilidade nesse movimento, a formação da Maçonaria na França do Antigo Regime e, seguidamente, considerar a importação e incorporação dessas ideias na secularização da política no Brasil.


Palavras-chave


Sociabilidade; Poder Indireto; Franco-maçonaria; Maçonaria no Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


BARATA, Alexandre Mansur. Luzes e Sombras: a ação da Maçonaria brasileira (1870-1910). São Paulo: Ed. Unicamp, 1999.

CARDOSO, Ciro Flamarion S. “A crise do colonialismo luso na América Portuguesa”. In: LINHARES, Maria Yedda (Org.) História Geral do Brasil. 9ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1990, pp. 111-128.

CASSIRER, Ernest. A filosofia do Iluminismo. Tradução Álvaro Cabral. Campinas: UNICAMP, 1992.

FALCON, Francisco J. C. A era pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

HOBBES, Thomas. Das causas, geração e definição de um Estado. In: Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil. Tradução: João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. Ed. Abril Cultural, 1974, pp. 109-110. (Coleção os Pensadores).

HOBSBAWM, Eric J. Era das Revoluções: 1789-1848. Tradução: Maria Tereza Teixeira. 25ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise: Uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Tradução: Luciana Villas-Boas Castelo-Branco. Rio de Janeiro: EdUERJ: Contraponto, 1999.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia: Dos pré-socráticos a Wittgenstein. 13ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2010.

MARINHO, Joaquim Saldanha. O rei e o partido liberal. 1869.

MOREL, Marco. Sociabilidades entre Luzes e Sombras: apontamentos para o estudo das maçonarias da primeira metade do século XIX. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: FGV. 2, nº 28, 2001, pp. 3-22.

NABUCO, Joaquim. Um estadista no Império: 1866-1878. Tomo III. Rio de Janeiro: H. Garnier, 1897.

SKINNER, Quentin. A Renascença Florentina. In: As Fundações do Pensamento Político Moderno. Tradução: Renato Janine Ribeiro e Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, pp. 91-133.

TAVARES, Marcelo dos Reis. Entre a cruz e o esquadro: o debate entre a Igreja Católica e a Maçonaria na imprensa francana (1882-1901). 136 p. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de História, Direito e Serviço Social da UNESP, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.1.al.227-244

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas