Monarquia federativa e democrática: O Congresso Liberal de 1889 e os sentidos do reformismo nos momentos finais do Império

Filipe Nicoletti Ribeiro

Resumo


No presente artigo, pretende-se abordar o projeto reformista esposado pelo Partido Liberal em fins da década de 1880. Tal projeto, levando em consideração as tradicionais bandeiras do partido e as exigências de um momento de profunda conflagração social e tensão política, ganhou tons acentuadamente reformistas e, nas palavras dos próprios contemporâneos, “democráticos”. Assentado após o Congresso do partido, que ocorreu em maio de 1889, na capital do Império, previa, entre outras reformas, a vigorosa expansão do sufrágio, a ampliação da autonomia provincial, a reforma do Estado, a plena liberdade de manifestação e de cultos, o casamento civil obrigatório e a facilitação do acesso à terra.

Palavras-chave


Estado; Política; Partido Liberal; Federalismo; Império do Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Angela. Joaquim Nabuco: os salões e as ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BARBOSA, Silvana Mota. “A política progressista: Parlamento, sistema representativo e partidos nos anos 1860”, in: José Murilo de Carvalho e Lúcia Maria Bastos Pereira das Neves, Repensando o Brasil do Oitocentos: cidadania, política e liberdade, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, pp. 295-324.

BARMAN, Roderick J. Imperador cidadão. São Paulo: Editora Unesp, 2012.

BOEHRER, George C. Da monarquia à república: história do Partido Republicano do Brasil (1870-1889), Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1950.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem e Teatro de sombras (4ª ed.), Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CARVALHO, José Murilo de. As conferências radicais do Rio de Janeiro: novo espaço de debate”, in: Id. (org.), Nação e cidadania no Império: novos horizontes, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, pp. 17-41.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

CARVALHO, José Murilo de. Liberalismo, radicalismo e republicanismo nos anos sessenta do século dezenove, Working Paper, Centre for Brazilian Studies, Oxford, 2007.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi, São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CARVALHO, Maria Alice Rezende de. O quinto século: André Rebouças e a construção do Brasil, Rio de Janeiro: Revan, 1998.

COSER, Ivo. Visconde do Uruguai: centralização e federalismo no Brasil, 1823-1866. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos (3ª ed.), São Paulo: Brasiliense, 1985.

DANTAS, Monica Duarte Dantas. “O código do processo criminal e a reforma de 1841: dois modelos de organização do Estado (e suas instâncias de negociação)”. Conferência apresentada junto ao IV Congresso do Instituto Brasileiro de História do Direito, São Paulo, Faculdade de Direito/USP, 2009.

DANTAS, Monica Duarte Dantas (org.). Revoltas, motins, revoluções: homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX, São Paulo: Alameda, 2011.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil, São Paulo: Globo, 2005.

DOLHNIKOFF, Miriam. Governo representativo e legislação eleitoral no Brasil do século XIX”. Journal of Iberian and Latin American Research, v. 20, 2014, pp. 66-82.

DOLHNIKOFF, Miriam. Representação na monarquia brasileira”, Almanack Braziliense, São Paulo, nº 9, mai/2009.

FERRAZ, Paula Ribeiro. O Gabinete da Conciliação: atores, ideias e discursos (1848-1857), Dissertação de Mestrado em História, Juiz de Fora: UFJF, 2013.

FERRAZ, Sérgio Eduardo. O Império revisitado. Instabilidade ministerial, Câmara dos Deputados e Poder Moderador (1840-1889). Tese de Doutorado em Ciência Política, São Paulo: FFLCH/USP, 2012.

GRAHAM, Sandra Lauderdale. “O Motim do Vintém e a cultura política do Rio de Janeiro, 1880”, in: Monica Duarte Dantas (org.), Revoltas, motins, revoluções: homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX, São Paulo: Alameda, 2011, pp. 485-510.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Do Império à República (2ª ed.), São Paulo: Difel, 1977 (Col. História Geral da Civilização Brasileira, t. II, v. 5).

MACHADO, Maria Helena Pereira Toledo. O plano e o pânico: movimentos sociais na década da abolição (2ª ed.), São Paulo: Edusp, 2010.

MAO, Guo-Ping. Homens e cousas in the age of reform, Brazil, 1868-1889, Tese de Doutorado em Filosofia apresentada à Universidade do Texas em Austin, 1997.

MATTOS, Hebe Maria. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no sudeste escravista, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo Saquarema. São Paulo: Hucitec, 1987.

MELLO, Evaldo Cabral de (org.). Essencial Joaquim Nabuco, São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2010.

MELO, Américo Brasiliense de Almeida e. Os programas dos partidos e o Segundo Império. Brasília: Senado Federal; Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1979

MESQUITA, Elpídio de. Dois Regimens. São Paulo: Typ. Leuzinger, 1896.

MESQUITA, Maria Luiza de Carvalho. O “Terceiro Reinado”: Isabel de Bragança, a Imperatriz que não foi. Dissertação de Mestrado em História Social, Vassouras: USS, 2009.

RIBEIRO, Filipe Nicoletti. Império das incertezas: política e partidos nas décadas finais da monarquia brasileira (1868-1889). Dissertação de Mestrado em História Social, FFLCH-USP, 2015.

SABA, Roberto N. P F. “As ‘eleições do cacete’ e o problema da manipulação eleitoral no Brasil monárquico”, Almanack: Guarulhos, n. 02, 2º semestre de 2011, p. 126-145.

SILVA, Lígia Osório. Terras devolutas e latifúndio: efeitos da lei de 1850. 2ª ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

SOUZA, Luís Alberto de. “Um mundo em agonia: a geração de 1870 em Desterro”. Revista História e Cultura, Franca-SP, v. 3, n. 1, p. 172-188.

TAVARES, Luiz Henrique Dias (org.). Ideias políticas de Manuel Vitorino. Cronologia, notas biográficas e textos selecionados. Brasília: Senado Federal; Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1981

URBINATTI, Inoã Pierre Carvalho. Ideias e projetos de reforma agrária no final do Império (1871-1889): uma análise de seu sentido político e social, Dissertação de Mestrado em História, Rio de Janeiro: UERJ, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.1.do.52-72

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas