PRÁTICAS DOCENTES EM RECIFE E OLINDA NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX

Yan Soares Santos, Dayana Lima

Resumo


A leitura, transcrição e sistematização das fontes governamentais relativas ao trabalho e associações docentes em Recife e Olinda, no século XIX, desvelaram práticas vinculadas, majoritariamente, a benesses individuais e ganhos políticos em suas relações com os poderes públicos. Ao rastrearmos, especificamente, as trajetórias e demandas dos membros da Sociedade Propagadora da Instrução Pública de 1872, bem como as petições feitas pelos professores aos poderes públicos dos principais expedientes práticos do trabalho docente - salários, gratificações, permutas, licenças médicas, transferências, materiais didáticos etc - argumentaremos que a docência como categoria profissional foi marcada por práticas individuais de cidadania, isto é, embora houvesse a existência de associações, de “interesse comuns” e um “desconforto” de professores públicos, estes desenvolviam estratégias pessoais, de acordo com privilégios conquistados ao longo da carreira, as quais, na prática, afastavam-se de constituírem uma identidade docente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html