Fronteira e integração territorial na escrita da história “didática” Oitocentista

Renilson Rosa Ribeiro, Luís César Castrillon Mendes

Resumo


Durante o período regencial, em 1838, entravam em funcionamento duas instituições que objetivavam criar e legitimar escritas históricas para forjar uma nação para o recém-emancipado Estado brasileiro: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) e o primeiro Colégio em que a História se tornaria disciplina escolar. Para atingir os objetivos de consolidação da nação, a integração territorial e a delimitação de suas fronteiras tornavam-se fundamentais. Objetiva-se, no presente texto, analisar o IHGB e o Colégio Pedro II, enquanto entidades ligadas ao Estado imperial, organizadoras de um projeto de construção nacional em que se fazia necessária a ratificação de suas fronteiras, buscando legitimações discursivas, fundamentadas nas explorações do território realizadas em séculos anteriores, nas quais o desenho do território, resultado histórico da política expansionista lusitana, constituiu-se em uma espécie de tradição.


Palavras-chave


Fronteira; Território; IHGB; Colégio Pedro II; Escrita da História

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, João Capistrano de. Carta a Barão do Rio Branco, de 17 de abril de 1890. In: José Honório Rodrigues. Explicação. Capítulos de História colonial. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1988.

ANDRADE, Vera Lúcia Cabana. Historiadores do IHGB catedráticos do Colégio Pedro II no Império. RIHGB. Rio de Janeiro 168(434), jan./mar. 2007.

ARAUJO, Valdei Lopes de. A experiência do tempo: conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1813-1845). São Paulo: Hucitec, 2008.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Contexto, 2004.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro didático e saber escolar (1810-1910). Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

CANAVARROS, Otávio. O Poder metropolitano em Cuiabá (1727-1752). Cuiabá: EdUFMT, 2004.

CASTRILLON-MENDES, Olga Maria. Taunay viajante: construção imagética de Mato Grosso. Cuiabá: EdUFMT, 2013.

CERTEAU, Michel de. Operação Historiográfica. In: A Escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002, p. 65-106.

CORTESÃO, Jaime Zuzarte. Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madri. t. II. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Ed. UNESP, 2007.

COSTA, Maria de Fátima. A história de um país inexistente: Pantanal entre os séculos XVI e XVIII. São Paulo: Estação Liberdade; Kosmos, 1999.

DENIS, Ferdinand. Résumé de l’histoire Du Brésil suivi Du Résumé de l’histoire de La Guyane. Paris: Lecointe et Durey libraires, 1825.

DORIA, Luis Gastão Escragnolle. Memoria Historica do Collegio de Pedro segundo (1837-1937). Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1937.

FONSECA, Thais Nívia de Lima e. História e ensino de História. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

GALETTI, Lylia da Silva Guedes. Sertão, fronteira, Brasil: imagens de Mato Grosso no mapa da civilização. Cuiabá: Entrelinhas; EdUFMT, 2012.

GASPARELLO, Arlette Medeiros. Construtores de identidades: a pedagogia da nação nos livros didáticos da escola secundária brasileira. São Paulo: Iglu, 2004.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Nação e civilização nos trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma história nacional. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, n. 1, 1988, p. 5-27.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Historiografia e nação no Brasil: 1838-1857. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado. Contribuição à semântica dos tempos modernos. Tradução de Wilma Patricia Maas e Carlos Almeida Pereira. Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. PUC-Rio, 2006.

MAGNOLI, Demétrio. O corpo da Pátria: imaginação geográfica e política externa no Brasil (1808-1912). São Paulo: Editora UNESP, Moderna, 1997.

MENDES, Luís César Castrillon. Publicar ou Arquivar? A Revista do IHGB e a escrita da História Geral do Brasil (1839-1889). Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá, 2011.

PEIXOTO, Renato Amado. A Máscara da Medusa: A construção do espaço nacional brasileiro através das corografias e da cartografia no século XIX. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2005.

RIBEIRO, Renilson Rosa. O Brasil inventado pelo visconde de Porto Seguro: Francisco Adolfo de Varnhagen, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a invenção do Brasil Colonial no Brasil Império (1838-1860). Cuiabá: Entrelinhas, 2015.

RODRIGUES, Candido M.; RIBEIRO, Renilson R.; ALMEIDA, Rodrigo D.; JOANONI NETO, Vitale. História: conceitos, metodologia e ensino. Cuiabá: EDUFMT; NEAD/UFMT; Universidade Aberta do Brasil, 2013.

SCHWARCZ, Lilia M. A natureza como paisagem: imagem e representação no Segundo Reinado. Revista USP. São Paulo, n. 58, jun./ago. 2003, p. 06-29.

SEGISMUNDO, Fernando. Excelências do Colégio Pedro II. Rio de Janeiro: Colégio Pedro II, 1993.

VECHIA, Ariclê. O ensino secundário no século XIX: instruindo as elites. In: STEPHANOU, Maria e BASTOS, Maria Helena Camara. Histórias e memórias da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 78-90.

VECHIA, Ariclê; LORENZ, Karl Michael. (Org.). Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba: Ed. do Autor, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.1.do.96-119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas