“Magistrados Imperiais”: atuação política e perfil social e de carreira dos juízes de direito no Rio Grande do Sul (1833-1889)

Jonas Moreira Vargas

Resumo


O artigo estuda os magistrados que atuaram como juízes de direito no Rio Grande do Sul entre 1833 e 1889. Num primeiro momento é realizada uma abordagem prosopográfica que busca analisar qual o perfil socioeducacional, profissional e político dos 149 bacharéis em direito que exerceram tal cargo no período. Na segunda parte do trabalho analiso a prática política desses magistrados, sobretudo na esfera local, onde os mesmos encontravam-se imersos em redes clientelares que disputavam o poder local e tiveram papel marcante no processo eleitoral.

Palavras-chave


Brasil Império; Juízes de Direito; Prática Política

Texto completo:

PDF

Referências


AITA, Carmen; AXT, Gunter. Parlamentares gaúchos nas Cortes de Lisboa aos nossos dias (1821-1996). Porto Alegre: ALRS, 1996.

ANDRADA E SILVA, José Bonifácio. Discursos Parlamentares (Seleção e introdução de Francisco de Assis Barbosa). Brasília: Câmara dos Deputados, 1979.

ARAÚJO, José Francelino de. A Escola do Recife no Rio Grande do Sul: influência dos nordestinos na magistratura, no magistério e nas letras jurídicas do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Sagra/ DC Luzzatto/ Faculdade Ritter dos Reis/IARGS, 1996.

ARAÚJO FILHO, Luís. O Município de Alegrete. Alegrete: Irmãos Drunes & Livraria O Coqueiro, 1907.

BEVILÁQUA, Clóvis. História da Faculdade de Direito do Recife. Brasília: Instituto Nacional do Livro, Conselho Federal de Cultura, 1977.

BIEBER, Judy. Power, patronage and Political Violence. State Building on a Brazilian Frontier, 1822-1889. University of Nebraska Press, 1999.

BICALHO,Maria F.; FERLINI,Vera (Org.). “Modos de Governar”: Ideias e práticas políticas no Império Português (séc.XVI-XIX). São Paulo: Alameda, 2005.

CARVALHO, José Murilo de. A Construção da Ordem: a elite política imperial e Teatro de Sombras: a política Imperial. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ/ Relume-Dumará, 1996.

CASTRO, Celso. Os militares e a República. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

COLUSSI, Eliane. A maçonaria gaúcha no século XIX. Passo Fundo: Ediunf, 1998.

DANTAS, Mônica Duarte. Partidos, liberalismo e poder pessoal: a política no Império do Brasil. In: Almanack Braziliense. São Paulo, n. 10, Nov. 2009, p. 40-47.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial: origens no federalismo no Brasil do século XIX. São Paulo: Globo, 2005.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: Formação do patronato político brasileiro. POA: Globo, 1958.

FERREIRA, Manoel Rodrigues. A Evolução do Sistema Eleitoral Brasileiro. Brasília: Senado Federal, 2001.

FLORY, Thomas. El juez de paz y El jurado em El Brasil imperial, 1808-1871. México: Fondo de Cultura econômica, 1986.

FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima (Orgs). O Antigo Regime nos Trópicos: a dinâmica imperial portuguesa. (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

FRANCO, Sérgio da Costa. Gaúchos na Academia de direito de São Paulo no século XIX. Revista Justiça& História, v. 1, 2001.

GOUVÊA, Maria de Fátima. Política provincial na formação da monarquia constitucional brasileira: Rio de Janeiro (1820-1850). Almanack Braziliense. São Paulo, n. 7, mai-2008, p. 119-137.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e Política no Brasil do Século XIX. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

GRAHAM, Richard. Construindo uma nação no Brasil do século XIX. In: Revista Diálogos. Maringá: DHI/UEM, v. 5, n. 1, 2001.

LEITE, Beatriz W. de Cerqueira. O Senado nos anos finais do Império: 1870-1889. Brasília: Senado Federal, 1979.

MARTINS, Maria Fernanda Vieira. “A velha arte de governar”: um estudo sobre política e elites a partir do Conselho de Estado (1842-1889). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2007.

MONTEIRO, Nuno G.; CARDIM Pedro; CUNHA, Mafalda (Org.). Optima Pars: elites ibero-americanas do Antigo Regime. Lisboa: ICS, 2005.

NASCIMENTO, Joelma A. do. Os "homens" da administração e da justiça no Império: eleição e perfil social dos juízes de paz em Mariana, 1827-1841. Dissertação de Mestrado em História. PPGH-UFJF, 2010.

NEQUETE, Lenine. O Poder Judiciário no Brasil a partir da Independência: I. Império. Brasília: STF, 2000.

NOGUEIRA, Almeida. A Academia de São Paulo: tradições e reminiscências. São Paulo: Saraiva, v. 1, 1977.

SANTOS, Jerlyane. Juízes de Paz no Império do Brasil: análise da experiência da magistratura leiga e eletiva na Província da Paraíba. Temporalidades, v. 6, 2014, p. 57-66.

SCHWARTZ, Stuart. Burocracia e sociedade no Brasil colonial: a Suprema Corte da Bahia e seus juízes. São Paulo: Perspectiva, 1979.

SIMÕES NETO, Francisco Teotônio. Bacharéis ns política e a política dos bacharéis. São Paulo: Tese de Doutorado em Ciência Política, USP, 1983.

SODRÉ, Elaine L. A disputa pelo monopólio de uma força (i)legítima: Estado e administração judiciária no Brasil Imperial (Rio Grande do Sul, 1833-1871). Tese de Doutorado em História. PUC-RS, 2009.

URICOECHEA, Fernando. O minotauro imperial: a burocratização do estado patrimonial brasileiro do século XIX. São Paulo: Difel, 1978.

VELLASCO, Ivan de Andrade. As seduções da ordem: violência, criminalidade e administração da justiça: Minas Gerais – século 19. São Paulo: EDUSC, 2004.

VAMPRÉ, Spencer. Memórias para história da Academia de São Paulo. São Paulo: Saraiva, 1924, 2 v.

VARGAS, Jonas. Entre a paróquia e a Corte: os mediadores e as estratégias familiares da elite política do Rio Grande do Sul. Santa Maria: Ed. da UFSM/Anpuh-RS, 2010.

VOLKMER, Antônio Carlos. História do Direito no Brasil. Rio de Janeiro: Forense, 1998, p. 81-83.

WITT, Marcos Antônio. Política e Magistratura no Brasil Imperial: o litoral norte do Rio Grande do Sul como um estudo de caso. Revista Justiça & História. Porto Alegre: TJ-RS. Departamento de Artes Gráficas, 2002. V. 2, n.º 3. p. 239-268.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2016.34.1.do.73-95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas