FORMAÇÃO DO AMBIENTE RURAL SUL-MATO-GROSSENSE (1829-1892)

Maria do Carmo Brazil, Elaine Cancian

Resumo


O presente artigo insere-se no campo da história agrária e visa a refletir sobre a organização da sociedade agropastoril nos campos sulinos de Mato Grosso. Na esteira dos caminhos percorridos por Linhares, através dos campos da história econômica e social, procuramos refletir a forma como os campos de localidades como Santana de Paranaíba, Rio Brilhante, Coxim, Corumbá, Campo Grande e, com destaque, Miranda, se tornaram, entre os anos de 1829 e 1892, importantes marcos da expansão da fronteira fundiária voltada para o centro-oeste brasileiro. Como fontes históricas, recorremos aos itinerários sertanistas oitocentistas, relatos memorialísticos e inventários post-mortem, entre outros documentos, reunidos nos arquivos locais e regionais. Tais materiais evidenciam a concentração fundiária, a exclusão social nela inscrita e dela decorrente, e a montagem de um aparato político repressivo e autoritário, procedimentos oligárquicos também inscritos no processo de ocupação das terras sul-mato-grossenses.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html