O PROJETO ESCOLA VIVA: A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NEOLIBERAL DE PAULO HARTUNG, NO ESPÍRITO SANTO (2003-2016)

Ueber José de Oliveira, Marcos Marcelo Lirio

Resumo


O presente artigo tem como propósito analisar a política educacional no contexto da chamada Era Paulo Hartung (2003-2016), partindo da hipótese de que foi a partir dela que se adotou de forma mais sistemática e incisiva, no Espírito Santo, a concepção de gerenciamento do Estado pautada, sobretudo, pela lógica neoliberal, na qual os princípios de qualidade total e eficiência passaram a exercer um poder central sobre os rumos políticos e econômicos do Estado do Espírito Santo em termos de política educacional. Tal fenômeno ocorre em um contexto de forte hegemonia da concepção urbano-industrial, a qual busca atender a interesses ancorados na agenda da ONG ES em ação, organismo que congrega diversas empresas de grande porte e que controla a agenda política capixaba, impondo ao conjunto do Estado o seu projeto de desenvolvimento econômico e social. Para alcançar os objetivos propostos neste estudo, utilizamos como metodologia a análise documental. O trabalho conclui que a política educacional do Governo Paulo Hartung, materializado no Programa Escola Viva, representa uma escalada rumo ao processo de privatização do sistema público de ensino do Espírito Santo e resulta de um processo antidemocrático, uma vez que não foi fruto de diálogo com a sociedade, mecanismo que consideramos mais adequado para a implementação de políticas públicas na área da educação.

Palavras-chave


Política; Educação; Programa Escola Viva; Era Paulo Hartung

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                          

             

 ISSN: 0102-9487  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com