Uso dos equipamentos de proteção individual por profissionais de enfermagem na atenção primária à saúde

Alcivan Nunes Vieira, Deivson Wendell da Costa Lima, Fábia Talita da Silva, Georges Willeneuwe de Sousa Oliveira

Resumo


RESUMO

Objetivo: descrever a adesão ao uso do Equipamento de Proteção Individual por parte da equipe de enfermagem na Atenção Primária à Saúde. Método: estudo descritivo realizado com profissionais de enfermagem. Os dados foram coletados através de um formulário e entrevista. Utilizou-se a Técnica de Análise de Conteúdo para os dados qualitativos; estes foram submetidos à análise frequencial por meio do programa SPSS. Resultados: a maioria dos enfermeiros (93,8%) e técnicos em enfermagem (95,7%) tem contato com matéria orgânica durante a realização de alguns procedimentos, de uma a cinco vezes por turno de trabalho. A adesão ao uso do Equipamento de Proteção Individual não acontece em todos estes momentos. Alguns motivos mostrados para o não uso foram: evitar o constrangimento do paciente e a negligência do profissional. Conclusão: a adesão ao uso do Equipamento de Proteção Individual não é equivalente entre esses profissionais e não acontece em todos os momentos em que ele se faz necessário. Descritores: Enfermagem do Trabalho; Saúde do Trabalhador; Doenças Transmissíveis; Infecção.

ABSTRACT

Objective: to describe the adherence in the use of Personal Protective Equipment by the nursing staff in primary health care. Method: descriptive study held with nursing professionals. Data were collected with a form and interview. The content analysis technique was used for qualitative data; the quantitative data were submitted to Frequency analysis using the SPSS program. Results: the majority of nurses (93.8%) and nursing technicians (95.7%) have contact with organic material while performing some procedures, from one to five times per shift. Adherence to the use of Personal Protective Equipment does not happen in all these moments. Some reasons shown for no use them were: avoid the patient´s embarrassment and professional negligence. Conclusion: the increase in the use of Personal Protective Equipment is not equivalent in these professionals and does not happen at all times when it is necessary. Descriptors: Work Nursing; Worker´s Health; Communicable Diseases; Infection.

RESUMEN

Objetivo: describir la adherencia al uso del Equipamiento de Protección Individual por parte del equipo de enfermería en la Atención Primaria de Salud. Método: estudio descriptivo realizado con profesionales de enfermería. Los datos fueron recogidos con un formulario y una entrevista. Se utilizó la Técnica de Análisis de Contenido para los datos cualitativos; los datos cuantitativos fueron sometidos al análisis de frecuencia por medio del programa SPSS. Resultados: la mayoría de los enfermeros (93,8%) y técnicos en enfermería (95,7%) tienen contacto con materia orgánica durante la realización de algunos procedimientos, de una a cinco veces por turno de trabajo. La adherencia al uso del Equipamiento de Protección Individual no acontece en todos estos momentos. Algunos motivos mostrados para el no uso fueron: evitar vergüenza del paciente y la negligencia del profesional. Conclusión: la adherencia al uso del Equipamiento de Protección Individual no es equivalente entre esos profesionales y no acontece en todos los momentos en que él se hace necesario. Descriptores: Enfermería del Trabajo; Salud del Trabajador; Enfermedades Transmisibles; Infección.


Palavras-chave


Enfermagem do Trabalho; Saúde do Trabalhador; Doenças Transmissíveis; Infecção.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v9i10a10848p1376-3183-2015



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

 doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios