O ENSINO DE GEOGRAFIA NO CONTEXTO DO SEMIÁRIDO NORDESTINO

Maria Juliana do Nascimento, Cícero Nilton Moreira da Silva

Resumo


Este trabalho discute acerca da Educação contextualizada na perspectiva da convivência com o semiárido e como essa acontece no ensino de Geografia. Como procedimentos metodológicos utilizamos revisão bibliográfica com base em autores como Andrade (1973 e 2006), Straforini (2004), Freire (2005), dentre outros que discutem temas voltados à convivência com o semiárido, à educação contextualizada e ao ensino de Geografia. Iniciamos nosso trabalho apresentando um relato dos pressupostos da Ciência Geográfica e da disciplina Geografia e as principais correntes de pensamento que a influenciaram, para então abordar como o ensino de Geografia acontece na contemporaneidade. Em seguida fazemos uma contextualização acerca do semiárido, na qual abordamos o processo de colonização, bem como a gestação dos estigmas presentes nos discursos que envolvem a região. Em um terceiro momento, apresentamos alguns fundamentos acerca da Educação Contextualizada, para então, tentarmos entender como a convivência com o semiárido pode ser praticada e percebida no ensino de Geografia. As reflexões aqui apresentadas contribuem para que professores reflitam sobre o ensino de Geografia na região Nordeste e para que percebam a importância da Educação Contextualizada na formação crítico – social do aluno.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.