PRÁTICA CURRICULAR E INCLUSÃO ESCOLAR DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E/OU TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

José Paulo Gomes Teixeira, Lilian Gomes da Silva, Adriano Ferreira Vieira, Rosângela Tenório de Carvalho

Resumo


A inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais (NEE) segundo Figueira (2009) possui um histórico que caminha da exclusão e homicídio até a inclusão e, na maioria das vezes, segregação. A pesquisa surgiu da necessidade formativa como futuros profissionais da Educação em termos contato com a inclusão escolar objetivando apreendermos como a prática curricular está organizada para atender estudantes com Deficiência Intelectual e/ou Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) de forma inclusiva. A pesquisa foi realizada na Escola Municipal do Dom no Recife-PE durante o segundo semestre de 2016 numa turma de Educação Infantil grupo V, que refere-se a crianças de 5 anos

Texto completo:

PDF

Referências


Referências: FIGUEIRA, Emilio. Caminhando em silêncio: uma introdução à trajetória das pessoas com deficiência na história do Brasil. São Paulo: Giz Editorial, 2008. LUDKE, Menga e ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. GIROUX, Henry. Pedagogia radical e o intelectual transformador. In: GIROUX, Henry. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez Editora, 1992. RECIFE. Secretaria de Educação. Política de Ensino da Rede Municipal do Recife, Educação inclusiva: múltiplos olhares. Jacira Maria L’Amour Barreto de Barros (Org.), Katia Marcelina de Souza (Org.), Élia de Fátima Lopes Maçaira (Org.). Recife: Secretaria de Educação, 2015, v. 5. Disponível em: Acessado em: 21/08/2016, ás 17hrs.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)