REINOS AFRICANOS: RAÍZES DA MINHA HISTÓRIA- UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA

Mayara Cristina Gomes de Brito, Leonardo Henrique dos Santos Silva, Lucas Souza César de Albuquerque, Grasiela Florêncio de Morais

Resumo


A lei 10.639/03 estabelece a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana na Educação Básica, alterando a Lei 9.394/96 das Diretrizes e Bases da Educação Nacional e com isso elaborando as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, desenvolvidas para nortear as propostas curriculares e ações dos professores da educação básica, visando resgatar a contribuição e valorização do povo africano dentro da História geral e da formação da sociedade brasileira, além de garantir equidade com relação às questões étnico-raciais. Desta forma, elaboramos uma proposta didática, denominada Raízes Africanas, como componente curricular da disciplina de Metodologia do Ensino de História III, visando ofertar aos professores da educação básica um ciclo de atividades referente à história dos reinos africanos, existentes antes do período colonial do século XVI. Tal estudo objetiva ampliar o conhecimento histórico dos estudantes com relação ao continente africano, ou seja, resgatar a origem histórica de um dos povos que fizeram parte da formação da sociedade brasileira, assim como é estudada a do europeu e como deveriam ser estudadas as “contribuições histórico-culturais dos povos indígenas e dos descendentes de asiáticos” (DCNER, 2005, P. 17). Já que, raramente, encontramos, nos livros didáticos a apresentação de uma África dissociada da escravidão transatlântica, isso porque, segundo Castro (2003) a cultura dos povos africanos não são vistos a partir dos seus encontros e desencontros com europeus e nativos americanos, mas pela sua força de trabalho na sociedade colonial escravista, ou, ainda, segundo Oliva (2008) porque as múltiplas experiências históricas sobre a África não nos foram apresentadas durante nossas trajetórias de vida e formações escolares, a não ser por meio de informações cheias de equívocos e simplificações. Sendo assim, a presente proposta didática visa desnaturalizar, bem como, desconstruir estereótipos e simplismos com relação ao continente africano, identificando a sua contribuição para a história global e local brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Resolução n° 1, de 17 de junho de 2004. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. CASTRO, Hebe Maria Mattos de. O ensino de História e a luta contra a discriminação racial no Brasil in Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia, ABREU, Martha e SOIHET Rachel (org), Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003. LIA, Cristine Fortes; COSTA, Jéssica Pereira da; MONTEIRO, Katani Maria Nascimento. A produção de material didático para o ensino de história. Revista Latino-Americana de História. Vol. 2, nº. 6, Edição Especial, Agosto de 2013. Disponível em: . Acessado em 20 de janeiro de 2017. OLIVA, Anderson Ribeiro. O ensino da história da África em debate : uma introdução aos estudos africanos. In: RIBEIRO, Álvaro Sebastião Teixeira Ribeiro et. al (orgs.). História e cultura afro-brasileira e africana na escola. Brasília: Ágere, 2008. SILVA, Ana Célia da. A Discriminação do Negro no Livro Didático/ Ana Célia Silva. 2. ed. – Salvador: EDUFBA, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)