NOTAS SOBRE A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DOS GOVERNOS DA DÉCADA DE 2000

Sidartha Sória Silva, Darcilene Cláudio Gomes

Resumo


Houve significativas mudanças no ensino superior no Brasil nas duas últimas décadas, desde a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), em 1996. Diferentes razões atuam nas mudanças. Além da LDB, deve-se considerar o crescimento do ensino superior privado, estimulado desde o governo FHC, e as políticas implementadas pelo Governo Lula. O objetivo deste trabalho é estudar este processo de transformações, no que foram analisadas algumas políticas, notadamente as que teriam tido maior impacto na configuração do ensino superior. Entre as conclusões do artigo, destaca-se o fato de que o atual sistema de ensino superior brasileiro representa um hibridismo, resultante da combinação de políticas dos governos FHC e Lula. A elevação do ritmo de trabalho planejada sob FHC levava em consideração o desmantelamento do tripé ensino-pesquisa-extensão - e o produtivismo acadêmico se abateria sobre uma classe já fragmentada por especializações. Sob Lula, manteve-se o tripé, nas não se rediscutiu o movimento de reenquadramento das atividades docentes pela lógica do produtivismo acadêmico. O resultado foi a continuidade do trabalho docente nos três pilares (mais a gestão acadêmica), mas em volume e intensidade sensivelmente ampliados pela lógica produtivista.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427