DIVISÕES DE GÊNERO, POSIÇÃO SOCIOECONÔMICA E DESIGUALDADE DE SAÚDE NO BRASIL

José Alcides Figueiredo Santos

Resumo


O artigo analisa a associação entre gênero e saúde, estima a desigualdade de gênero de saúde de 2003 a 2013, caracteriza o papel dos fatores socioeconômicos nesta desigualdade e investiga as variações da desigualdade de gênero a depender da posição socioeconômica. Estimam-se as probabilidades preditas e as diferenças absolutas e proporcionais de gênero na probabilidade de ter uma autoavaliação não boa do estado de saúde. São utilizados os suplementos de saúde da PNAD-2003, da PNAD-2008 e os dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2013. Os fatores socioeconômicos revelam diferentes facetas e mostram potenciais distintos de demarcação das discrepâncias de gênero de saúde. O bloco classe-renda e a educação vêm atuando de forma bastante diferenciada na desigualdade de gênero de saúde. Classe e renda agem como fatores mediadores e educação como variável supressora.  O efeito mediador de renda suplanta o efeito supressor da educação. Avalia-se em 2013 o papel mediador de relevantes fatores de risco e doenças crônicas na desigualdade resultante. As divisões de gênero geram desvantagens de saúde especialmente entre os grupos que estão situados em circunstâncias não vantajosas de emprego e renda.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427