ESTADO BRASILEIRO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UMA ANÁLISE À LUZ DAS INTERSECÇÕES HISTÓRICAS ENTRE DOMINAÇÃO DE CLASSE E LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL A PARTIR DE 1930

Manoel Gonçalves dos Santos, Wilson Pereira de Jesus

Resumo


O artigo apresenta uma análise da influência dos interesses da classe dominante no direcionamento do Estado brasileiro, cotejando formas em que estes interesses reverberam na formação docente. Ele tem origem numa pesquisa bibliográfica e documental. A trajetória da formação de professores no Brasil, narrada e problematizada, evidencia que os interesses da classe dominante, calcados no domínio e expansão do capital, vêm influenciando decisivamente os rumos trilhados pela formação docente por meio de proposições de dispositivos legais que a normatizam, os quais têm lhe imputado um caráter preponderantemente tecnicista, e a tornado, a um só tempo, sem qualidade e sem significado político. Nessa perspectiva, defende-se que pelo fato de os processos formativos serem históricos, eles podem, ao contrário do que vêm fazendo as políticas e práticas de formação até então hegemônicas, ser colocados em uma rota mais propícia à materialização de realidades sociais equitativas e democráticas.

 


Palavras-chave


Estado, Formação de professores, Legislação educacional, Dominação de classe

Texto completo:

PDF


 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ