A Construção de Dados em Produções Escritas Argumentativas no Ensino Superior

Brucce Sanderson Prado de Freitas, Marcelo Tadeu Motokane

Resumo


Resumo: O objetivo da presente pesquisa é identificar como uma professora universitária buscou promover a construção de dados em produções escritas argumentativas a partir de figuras de cortes anatômicos de vegetais. Para identificar o “como” buscamos investigar aestrutura e o conteúdo do discurso presentes da docente em aulas de orientação para reescrita de uma produção escrita de quatro grupos de estudantes.  Consideramos os movimentos epistêmicos propostos por Silva (2015) como categorias de análise para identificar a estrutura do discurso da docente. Para analisar o conteúdo do discurso propomos três categorias de análise, aqui denominadas como sugestões de mudança, elaboradas a partir dos pressupostos de Bardin (2011) e da impregnação do material analisado. Investigar a estrutura e conteúdo do discurso da professora de maneira associada nos permitiu uma melhor compreensão das nuances e intenções do seu fazer docente.

 

Palavras-chave: Docência Universitária; Enculturação Científica; Argumentação; Escrita Científica; Ensino de Botânica.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sara Knopp. Investigações qualitativas em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

CACHAPUZ, Antônio; GIL-PÉREZ, Daniel; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de; PRAIA, João; VILCHES, Amparo (Orgs.). Necessária renovação do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CAPECCHI, Maria Candida Varone de Morais; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de Atividade de laboratório como instrumento para a abordagem de aspectos da cultura científica em sala de aula. Pro-posições, v. 1, n. 49, p. 137–153, 2006.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Habilidades de professores para promover a enculturação científica. Revista Contexto & Educação, Ijuí, ano 22, nº 77, p. 25 - 49, 2007.

DE CHIARO, Sylvia; LEITÃO, Selma. O papel do professor na construção discursiva da argumentação em sala de aula. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 350–357, 2005.

DRIVER, Rosalind; NEWTON, Paul; OSBORNE, Jonathan. Establishing the norms of scientific argumentation in classrooms. Science Education, v. 84, nº3, p. 287-312, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra,. 1987.

HENAO, Berta Lucila; SPTIPCICH, Maria Silvia Educacion em ciências y argumentation: la perspective de Toulmin como possible respuesta a las demandas y desafios contemporaneous para la enseñan-za de lãs ciências experimentales. Revista Eletrónica de Enseñanza de las ciências, v. 7, p. 47 – 62, 2008.

JIMÉNEZ-ALEIXANDRE, Maria Pílar P. 10 ideas claves: competencias en argumentación y uso de pruebas. Graó, 2010.

_______; BUSTAMANTE, José Manuel Díaz de. Discurso de aula y argumentación en la clase de ci-ências: cuestiones teóricas y metodológicas. Enseñanza de las Ciencias, Barcelona, v. 21, n. 3, p. 359-370, 2003

_______; MORTIMER, Eduardo Fleury; SILVA, Adjane da Costa Tourinho; BUSTAMANTE, José Manuel Díaz de. Epistemic practices: an analytical framework for science classrooms. Paper apresentado na Reunião Annual da AERA. New York, NY, mar. 2008.

KELLY, Gregory J.; DUSCHL, Richard A. Toward a research agenda for epistemological studies in science education. Paper apresentado na Reunião Annual da NARST. New Orleans, LA, abr. 2002.

LIDAR, Malena; LUNDQVIST, Eva; ÖSTMAN, Leif Teaching and learning in the science classroom the interplay between teachers’ epistemological moves and students' practical epistemology. Science Education, v. 90, n. 1, p. 148–163, 2006.

MACHADO, Vitor Fabricio; SASSERON, Lúcia Helena. As perguntas em aulas investigativas de Ciências : a construção teórica de categorias Teacher ´ s questions in inquiry Science classes : theoretical construction of Introdução e justificativa. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 2, p. 29–44, 2012.

MAYR, Ernest. The growth of biological thought. London/Harvard: Harvard University Press, 1982.

MCNEILL, Katherine L.; KRAJCIK, Joseph. Scientific explanations: caracterizing the efects of teachers’ instructional practices on student learning. Journal of Research in Science Teaching, v. 45, p. 53 – 78, 2008.

MOTOKANE, Marcelo Tadeu. Sequências Didáticas Investigativas e argumentação no ensino de ecologia. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 17, n. especial, p. 115-137, 2015.

PERELMAN, Chaïm.; OLBRECHTS–TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Lea das Graças Camargos; CAVALLETT, Valdo José. Docência e ensino superior: construindo caminhos. In: BARBOSA, Raquel Lazzari Leite. (org.). Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Unesp, p. 267-289, 2003.

PRETI, Dino. Sociolinguística Os níveis de fala: Um estudo Sociolinguístico do Diálogo na Literatura Brasileira. São Paulo: Edusp, 2003.

RATZ, Sofia Valeriano Silva; MOTOKANE, Marcelo Tadeu. A construção dos dados de argumentos em uma Sequência Didática Investigativa em Ecologia. Ciência & Educação, Bauru (online), v. 22, n. 4, p. 951-973, 2016.

SANDOVAL, William A.; MORRISON, Kathryn. High school students’ ideas about theories and theory change after a biological inquiry unit. Journal of Research in Science Teaching, v. 40, nº 4, 369 – 392, 2003.

________; REISER, Brian J. Explanation-driven inquiry: integrating conceptual and epistemic scaffolds for scientific inquiry. Science Education, v. 88, p. 345-372, 2004.

________; MILLWOOD, Kelli A. The Quality of Students ’ Use of Evidence in Written Scientific Explanations The Quality of Students ’ Use of Evidence in Written Scientific Explanations. Cognition and Instruction, v. 23, n. 1, p. 23–55, 2005.

SILVA, Adjane da Costa Tourinho. Práticas e movimentos epistêmicos em atividades investigativas de Química. Anais do V ENPEC. Campinas, 2011.

________. Interações discursivas e práticas epistêmicas em salas de aulas de ciências. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 17, n. especial, p. 69 - 96, 2015.

TOULMIN, Stephen E. Os usos do argumento. Trad. Reinaldo Guarany. 2. ed. São Paulo: Contraponto, 2006.

VOGT, Carlos. (Org.) Ciência, comunicação e cultura científica. In:______. Cultura científica: desafios. São Paulo: Edusp; Fapesp, 2006. p. 18-26.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASES DE DADOS

GOOGLE ACADÊMICO

UCL INSTITUTE OF EDUCATION LIBRARY

PKP | INDEX

Tópicos Educacionais - ISSN 0101-8701 (impresso) 2448-0215 (on line)