CAPACITAÇÃO DE EDUCADORES E POLÍTICA EDUCACIONAL: UM QUESTIONAMENTO DOS PRESSUPOSTOS.

Lêda Dantas

Resumo


O objetivo deste artigo é abordar a qualificação do educador numa perspectiva que contribua para o desenvolvimento de sua autonomia. Considera-se que a política educacional ao concentrar as decisões no que concerne aos rumos a serem tomados pelo conjunto dos educadores, ao longo de uma determinada gestão, tem como principais consequências: A) a tentativa de hegemoneirar a prática desse coletivo; B) a tendência a deixa-lo à mercê de mudanças partidárias; C) a reprodução das relações sociais capitalistas pela permanência da divisão entre os que planejam e os que executam. A argumentação procura evidenciar como tais consequências contribuem para desqualificar o educador e que outras mediações são necessárias para se reverter esse quadro.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.51539/2448-0215.1991.230644

 

A revista utiliza a licença https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ