REPENSANDO A APRENDIZAGEM DE FRAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA

Lícia de Souza Leão Maia, Marcelo Câmara, Paulo Câmara

Resumo


Visando a compreensão da relação existente a aquisição de fração pela criança, do ponto de vista psíco-genético, e as atividades desenvolvidas em sala de aula, alguns membros da equipe técnica do Projeto de Rede “Ciências e matemáticas na escola de 1° e 2° graus de Pernambuco”, realizaram uma pesquisa/ação com alunos de 5 série do Colégio de aplicação da UFPE. Realizou-se, inicialmente, um levantamento das concepções desses alunos sobre a ideia de fração, a noção de equivalência e as operações com frações. Observou-se uma forte tendência à interpretação do conceito de fração como conjunção de duas ações, uma, a de dividir o todo em partes iguais, a outra, de destacar algumas dessas partes representadas pelo numerador e pelo denominador, separadamente, sem o entendimento de que o símbolo a/b indica uma quantidade não representável por um número natural.Na perspectiva de eliminação de uma tal distorção propôs-se uma metodologia de ensino explorando a noção de fração, baseada na proposta de Maranhão e Imenes (1985, 1986, 1987) utilizando material concreto em forma de jogos.Enfatiza-se a ideia de fração como resultado da comparação de uma grandeza com uma unidade escolhida (medição), bem como, nesse processo, a ideia de fração fundamental (fração de forma 1/n).          A avaliação realizada antes e depois da experiência indica melhorias consideráveis a nível da compreensão, por parte dos alunos, da noção em questão.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASES DE DADOS

GOOGLE ACADÊMICO

UCL INSTITUTE OF EDUCATION LIBRARY

PKP | INDEX

IRESIE-INSTITUTO DE INVESTIGACIONES SOBRE LA UNIVERSIDADE Y LA EDUCATION 

EDUBASE

Tópicos EduSEcacionais - ISSN 0101-8701 (impresso) 2448-0215 (on line)