DISCURSO, MITO, GOVERNO POPULAR

Flávio Brayner

Resumo


Estou convencido de que no findo, nós destrunfamos os mitos apenas para colocar outros no lugar. E aqui não importa, sequer, se os suplentes superam em "qualidade mítica" os titulares: são todos mitos e se definem, em
princípio, por sua situação de fiadores extra sociais, trans-históricos, aos quais é preciso retomar sempre, seja para reafirmar "atos fundadores, seja pata celebrar comunhões muitas vezes artificiais (e estas o são na exata medida em que necessitam deles para se consolidarem), seja pata nos fornecer a tranquilidade psicológica de que necessitamos para responder ao inusitado, ao imponderável da existência, conferindo-lhe um Sentido, remissivo à origem e ao fim.


Texto completo:

PDF


 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ