GAMIFICAÇÃO PARA O ENSINO DE FÍSICA: O QUE FALAM AS PESQUISAS

Robson Raabi do Nascimento, Pricylla Santos Cavalcante do Nascimento

Resumo


As mudanças culturais produzidas nas últimas décadas pelo desenvolvimento da cibercultura
produziu uma necessidade de mudança na didática das ciências. O processo de usar elementos de
jogos em processos foras de jogo, chamado de gamificação, tornou-se uma nova ferramenta para a
didática da física. Com isso objetivou-se fazer um levantamento das principais ideias sobre
gamificação no ensino de física. Realizou-se uma revisão bibliográfica na plataforma google
acadêmicos utilizando os temos gamificação e ensino de física. Quatro artigos foram encontrados e
resumidos. Pode-se ver que os artigos encontrados na pesquisa indicam que a gamificação é uma
metodologia inovadora que pode ser utilizada no ensino de física, ela cria uma técnica de ensino
que se comunica bem com os nativos digitais e estabelece modelos adequados a didática que deve
ser desenvolvido na cibercultura.


Texto completo:

PDF

Referências


AIKENHEAD, G. S. Educação científica para todos. Mangualde, Pedago, 2009.

ALVES, F., Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras: um guia completo

do conceito a prática. 2ª ed. São Paulo, DVS Editora, 2015.

ALVES, R., Filosofia da ciência: introdução ao jogo e a suas regras. São Paulo, Edições Loyola, 2013.

CARVALHO, A. M. P. Habilidade de professores para promover a enculturação científica, contexto &

educação, V. 22 (77), 2007.

CAVALCANTE, A. A.; SALES, G. L. e SILVA, J. B., Tecnologias digitais no Ensino de Física: um relato de

experiência utilizando o Kahoot como ferramenta de avaliação gamificada. Research, Society and

Development, V.7 (11), 2018.

CHIQUETTO, M. J. e KRAPAS, S. Livros didáticos baseados em apostilas: como surgiram e por que

foram amplamente adotados. Revista brasileira de pesquisa em educação em ciências, V. 12 (3),

FADEL, L. M.; ULBRICHT, V. R.; BATISTA, C. R.; VANZIN, T. Gamificação na educação. São Paulo:

Pimenta Cultural, 2014.

FIGUEIREDO, M.; PAZ, T. e JUNQUEIRA, E., Gamificação e educação: um estado da arte das

pesquisas realizadas no Brasil. Anais dos Workshops do IV Congresso Brasileiro de Informática na

Educação, 2015.

FOUREZ, G. Crise no ensino de ciências?, Investigação em ensino de ciências, V8(2), 2003.

GASTALDON, L. B. e AMORIM, I. F., Metodologias Inovadoras no Ensino de Física: gamificação.

ANAIS 5º Congresso Internacional de Educação do Noroeste Paulista – Aprendizagem e Inovação,

GUIMARÃES, S. E. R. BORUCHOVITCH, E. o estilo motivacional do professor e a motivação intrínseca

e extrínseca dos estudantes: uma perspectiva da teoria da autodeterminação, Psicologia reflexão e

crítica, V. 17(2), 2004.

LÉVY, P. Cibercultura, São Paulo, editora 34, 3ª edição, 2010.

MARTINS, A. F. P., Física ainda é Cultura?, São Paulo, editora livraria da física,

MCGONIGAL, J. A Realidade em jogo: por que os games nos tornam melhores e como eles podem

mudar o mundo. Rio de Janeiro, Bestseller, 2012.

MENEZES, C. C. N. e BORTOLI, R., Gamificação: surgimento e consolidação. C&S, V. 40(1), 2018.

NARDI, R. Educação em ciências: da pesquisa à prática docente. São Paulo: Escrituras Editora, 2010.

SANTOS, M.; SCARABOTTO, S. C. A. e MATOS, E. L. M., Imigrantes e nativos digitais: um dilema ou

desafio na educação?, X Congresso Nacional De Educação, 2011.

SILVA, J. B. e SALES, G. L., Gamifcação aplicada no ensino de Física: um estudo de caso no ensino de

óptica geométrica. Acta Scientiae, V.19 (5), 2017 a.

SILVA, J. B. e SALES, G. L., Um panorama da pesquisa nacional sobre gamificação no ensino de Física.

Tecnia, V.2 (1), 2017 b.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife - PE, 50670-901.