GRÁFICOS CONCRETOS: UMA ESTRATÉGIA DE ENSINO MAKER PARA BIOESTATÍSTICA EM CURSOS DE SAÚDE

Heytor Victor Pereira da Costa Neco, Elisângela Geralda da Silva, Hélio Geraldo da Cruz Santos

Resumo


A bioestatística é uma ciência fundamental para que estudantes da área de saúde desenvolvam sua formação crítica e científica. Nesse artigo, apresentamos uma estratégia de ensino maker aplicada a turmas de bioestatística dos cursos de saúde de um centro universitário privado da cidade de Recife-PE. Na estratégia “Gráficos Concretos”, os estudantes foram convidados a trabalhar o método científico, desde a elaboração e aplicação de um questionário, até a construção dos gráficos concretos, a partir da utilização de diferentes materiais, entre eles, recicláveis. Os resultados positivos demonstram que a construção dos gráficos auxiliou os estudantes a tirar dúvidas e construir o conhecimento necessário à interpretação de um gráfico. Entretanto, o déficit de matemática básica parece atuar negativamente na transição desses discentes para o ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Bonafé, F.S.S.; Loffredo, L.C.M.; Campos, J.A.D.B. Atitudes em relação à Bioestatística de discentes e docentes da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara-UNESP. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, v.31, n.2, p.143-147, 2010.

Bittencourt, H.R. et al. CONSIDERAÇÕES SOBRE O DESEMPENHO DE ALUNOS NA DISCIPLINA DE BIOESTATÍSTICA DA ULBRA. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v.9, n.1, 2007.

Guimarães, G. L. et al. Livros didáticos de matemática nos anos iniciais: Análise das atividades sobre gráficos e tabelas. In Anais do IX Encontro Nacional de Educação Matemática. Belo Horizonte, MG, 2007.

Cavalcanti, M.; Guimarães, G. Compreensão de Adultos e Crianças sobre Escala Representada em Gráficos. Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), v.9, n.21, 2016.

Cavalcanti, M. R. G. et al. Gráficos na Mídia Impressa. Bolema, v.23, n.36, p.733-751, 2010.

Evangelista, M.B.; Guimarães, G.L. Escalas representadas em gráficos: Um estudo de intervenção com alunos do 5º ano. Revista Portuguesa de Educação, v.28, n.1, 2015.

Nasser, L.; Sousa, G. A.; Torraca, M. A. TRANSIÇÃO DO ENSINO MÉDIO PARA O SUPERIOR: COMO MINIMIZAR AS DIFICULDADES EM CÁLCULO?. Anais do V Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, v.1, n.1, 2012.

Lima, I. B. Investigando o Desempenho de Jovens e Adultos na Construção e Interpretação de Gráficos. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica. UFPE, 2010.

Zucherato, B.; Juliasz, P. C. S.; Freitas, M. I. C. Cartografia tátil: mapas e gráficos táteis em aulas inclusivas. Unesp/UNIVESP, v. 9, D22, 2012.

Vieira, S. Introdução à Bioestatística. 4. ed. Rio de janeiro: Elsevier, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universitária, Recife - PE, 50670-901.