POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO DE PESSOAS SURDAS: CONQUISTAS, PARADOXOS E IMPASSES

Bruno Rege LOPES, Mônica Maria dos SANTOS

Resumo


Políticas públicas são resultado de lutas sociais que garantam o acesso de grupos minoritários a direitos previstos nos textos legais. No Brasil, a instituição de políticas públicas educacionais tem promovido avanços significativos no acesso de pessoas surdas à escola e ao mercado de trabalho. Essa pesquisa objetiva descrever como esses avanços foram sendo consolidados ao longo da história e como eles impactaram na vida dos sujeitos surdos. Para seu desenvolvimento elegemos o estudo de revisão bibliográfica e o relato de experiência a partir de observação e estudo de caso.


Palavras-chave


Políticas públicas. Educação inclusiva. Pessoas surdas.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto n.º 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras. Brasília, 2005. p. 01-05.

BRASIL, Lei nº 9.394/96 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, Brasília, 1996.

BRASIL. Lei n.º 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras - e dá outras providências. Brasília, 2002. p. 01.

BRASIL. Ministério da Educação. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, junho de 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Saberes e práticas da inclusão. Secretaria de Educação Especial. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para à prática pedagógica. Vol. 1. Secretaria de Educação Especial. Brasília, 2004.

CHOMSKY, N. Novas perspectivas linguísticas. Petrópolis: Vozes, 1971.

FERNANDES, E. Língua de sinais e desenvolvimento cognitivo da criança surda. Espaço. Rio de Janeiro: INES, 2000.

LENT, Roberto. Cem Bilhões de Neurônios? Conceitos Fundamentais de Neurociência. 2ª ed. Rio de Janeiro.: Atheneu, 2010.

LOPES, Bruno Rege. SANTOS, Mônica Maria. Impasses da educação inclusiva: o luto simbólico do filho idealizado e o ensino da língua portuguesa para alunos surdos. Barra do Garças. Revista Panorâmica – ISSN 2238-9210 - Edição Especial 202º, p. 188-207. disponível em: http://revistas.cua.ufmt.br/revista/index.php/revistapanoramica/issue/view/50/showToc. Acessado em: 25/05/2020.

MORATO, E.M. Da relação entre linguagem e congnição. In.: RESENDE, B.D.; LIMA-HERNANDES, M.C.; DE PAULA, F.V.; MÓDOLO, M.; CAETANO, S.C. Polifonia, Cuiabá-MT, v. 25, n.38.1, p. 193-388, maio-agosto.2018. 302 (orgs.). Linguagem e cognição: um diálogo interdisciplinar. Lecce / Rovato - Itália: Pensa MultiMedia Editore s.r.l., 2015, p. 25-51.

PERL1N, G. T. T.. 'Identidades surdas'. In SKLIAR, C. (org.) A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre, Mediação, 1998.

SILVA; A.B.P.& COL. Surdez e Modalidade de Linguagem. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, Jul-Set 2007, Vol. 23 n. 3, pp. 279-286.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias nº.16 Porto Alegre July/Dec. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-45222006000200003&script=sci_arttext Acesso em 20 de janeiro de 2020.

THOMA, A.; KLEIN, M. Experiências educacionais, movimentos e lutas surdas como condições de possibilidade para uma educação de surdos no Brasil. Cadernos de Educação | FaE/PPGE/UFPel | Pelotas [36]: 107 - 131, maio/agosto. 2010.

ZAVAREZE, T.E. A construção histórico cultural da deficiência e as dificuldades atuais na promoção da inclusão. O portal dos Psicólogos. Florianópolis, 2009. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0478.pdf. Acesso em: 30 jan. 2020.

UNESCO, a Conferência Mundial sobre Necessidades Educacionais Especiais, Salamanca, 1994.

UNESCO, Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1990.

WRIGLEY, O. The politics of deafness. Washington. Gallaudet University Press, 1996.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS: