Língua e brasilidade no pensamento linguístico dos anos 1940-1960

Cristine Gorski Severo, Ana Cláudia Fabre Eltermann

Resumo


Neste artigo, discorremos sobre a relação entre língua e brasilidade nos discursos de “linguistas” dos anos 1940-1960, em consonância com um cenário político fortemente marcado pelos ideais nacionalistas. Identificamos três orientações discursivas: defesa da unificação linguístico-cultural entre Brasil e Portugal; defesa linguística de uma diferenciação linguística entre Brasil e Portugal; defesa político-discursiva de uma brasilidade linguística. Averiguamos os argumentos utilizados, buscando compreender as relações de poder subjacentes a eles.

Texto completo:

PDF

Referências


ALIM, Samy; RICKFORD, John; BALL, Arnetha (Orgs.). Raciolinguistics: How Language Shapes Our Ideas About Race. Oxford: Oxford University Press, 2016.

BRASIL. IBGE - Conselho Nacional de Estatística. Censo demográfico. Rio de Janeiro: 1956. (Série Nacional, volume I)

BUENO, Francisco da Silveira. A formação histórica da língua portuguesa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1958.

CASTILHO, Ataliba. Estudos lingüísticos no Brasil: Notas para sua história, 1962, p. 135-143. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2018.

CASTRO, Yeda Pessoa de. Marcas de africania no português do Brasil: o legado negroafricano nas Américas. Interdisciplinar, ano XI, v. 24, 2016, p. 11 – 24.

______. Marcas de africania no português brasileiro. Africanias,

Salvador, v. 1, 2011, p. 1-7. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2018.

CUNHA, Celso. Uma política do idioma. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1965.

ELIA, Sílvio. A unidade linguística do Brasil: condicionamentos geoeconômicos. Rio de Janeiro: Padrão, 1979.

______. Ensaios de filologia. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1963.

______. Teremos um novo ocidente? In: PINTO, Edith Pimentel. O português do Brasil: textos críticos e teóricos, 2: 1920/1945: fontes para a teoria e a história. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1981 [1940].

ELTERMANN, Ana Cláudia Fabre. O lugar das línguas africanas nos discursos sobre a brasilidade linguística. 2018. 175 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Linguística, Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Tradução de Antônio Fernando Caiscais e Eduardo Cordeiro. Rio de Janeiro: Passagens, 1992.

______. Microfísica do Poder (org. Roberto Machado). 4. ed. Rio De Janeiro: Graal, 1999.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 48a ed. São Paulo: Global, 1933/2003.

NEIVA, Artur. À guisa de prefácio. São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre: Companhia Editora Nacional, 1940. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2018.

ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira. 1888. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

SANCHES, Edgard. Língua brasileira: introdução. In: PINTO, Edith Pimentel. O português do Brasil: textos críticos e teóricos, 2: 1920/1945: fontes para a teoria e a história. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1981 [1940].

______. Língua Brasileira [Introdução]. Entremeios: revista de estudos do discurso. v.11, 2015 [1949], p. 187-221. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2018.

SANTOS, Ademir Valdir dos; MUELLER, Helena Isabel. Nacionalismo e cultura escolar no governo Vargas: faces da construção da brasilidade. Cadernos de História da Educação v. 8, n. 2, 2009, p. 261-274.

SEVERO, Cristine Gorski. Uma visão panorâmica das políticas linguísticas no Brasil: construindo diálogos. Revista da Academia Brasileira de Letras, v. 94, 2018, p. 11-22.

______. Políticas Linguísticas e Racismo. In: VII Encuentro Internacional de Investigadores de Políticas Linguísticas, 2015, Córdoba. Actas del VII Encuentro Internacional de Investigadores de Políticas Linguísticas. Córdoba: Facultad de Lenguas, Universidad Nacional de Córdoba, v. 1, 2015, p. 403-409.

______. Língua portuguesa como invenção histórica: brasilidade, africanidade e poder em tela. Working Papers em Linguística (Online), v. 16, 2015a, p. 35-61.

SILVA NETO, Serafim da. Introdução ao estudo da língua portuguesa no Brasil. Rio de Janeiro: MEC, 1977.

______. O dialeto brasileiro (fatores de diferenciação). In: PINTO, Edith Pimentel. O português do Brasil: textos críticos e teóricos, 2: 1920/1945: fontes para a teoria e a história. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1981 [1936].

VELLOSO, Mônica Pimenta. Os intelectuais e a política cultural do Estado Novo. Rio de Janeiro: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, 1987.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.