A inevitável travessia pelo tempo: de Grande sertão: veredas a A paixão segundo G.H.

Anderson Luiz Teixeira Pereira, Sílvio Augusto de Oliveira Holanda

Resumo


O presente trabalho propõe o exame do tempo em Grande sertão: veredas (1956), de João Guimarães Rosa, e em A paixão segundo G.H. (1964), de Clarice Lispector. Nesse sentido, o tempo, a priori, categoria estrutural de toda narrativa, é tomado como temática recorrente ao mundo ficcional, provocando a leitura crítica acerca da experiência temporal vivida e narrada pelos personagens Riobaldo e G.H., respectivos das obras supracitadas. Portanto, uma vez repassado à matéria da narrativa, o tempo reorganiza a realidade sui generis do mundo ficcional e nos impõe a necessidade do ato interpretativo.


Texto completo:

PDF

Referências


AUERBACH, Erich. A meia marrom. In: Mimesis. Trad. Suzi Frankl Sperber. São Paulo: Pespectiva, 1976. p. 471-502.

BARBIERI, Márcio José Pivotto. O tempo das formas em Grande Sertão: Veredas. São Paulo, 2011. 125 p. Dissertação de Mestrado em Literatura Brasileira, Universidade de São Paulo.

BERGSON, Henri. Ensaio sobre os dados imediatos da consciência. Trad. João da Silva Gama. Lisboa: Edições 70, 1988.

FINAZZI-AGRÒ, Ettore. A perfeita imperfeição: transição e permanência em Grande sertão: veredas. Suplemento Literário de Minas Gerais, Belo Horizonte, maio de 2006.

GALVÃO, Walnice Nogueira. As formas do falso: um estudo sobre a ambiguidade no Grande sertão: veredas. São Paulo: Perspectiva, 1972.

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Trad. Fernando Martins. Lisboa: Vega, 2000.

GILLOUIN, René. Berson. Trad. José Pérez. São Paulo: Cultura Moderna, [19--].

HEIDEGGER, Martin. O conceito de tempo. Trad. Irene Borges-Duarte. Lisboa: Fim do século, 2008.

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H. Ed. crítica organizada por Benedito Nunes. Brasília: CNPq, 1988.

______. A paixão segundo G.H. Rio de Janeiro: Rocco, 2009..

MENDILOW, Adam. O tempo e o romance. Trad. Flávio Wolf. Porto Alegre: Globo, 1972. 270 p.

MEYERHOFF, Hans. O tempo na literatura. Trad. Myriam Campello. São Paulo: McGraw-Hill, 1976.

NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 2008.

______. A clave do poético. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

______. Experiências do tempo. In: NOVAES, Adauto (Org.). Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras; Secretária Municipal de Culturaz ,1992. p. 131-134.

______. Grande sertão: veredas: uma abordagem filosófica. Bulletin des études portugaises et brésilennes. Paris, ADPF, n. 44-45, p. 389-404, 1985.

______. O drama da Linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Ática, 1989.

______. Tempo. In: JOBIM, José Luis (Org.) Palavras da Crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 343-366.

PAULA, Júlio Cesar Machado de. O que ajunta espalha: tempo e paradoxo em Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, e Nós, os do Makulusu, de Luandino Vieira. Minas Gerais, 2010, 154 p. Tese de Doutorado em Literatura Comparada, Universidade Federal de Minas gerais.

POUILLON, Jean. O tempo no romance. Trad. Heloysa de Lima Dantas. São Paulo: Cultrix; São Paulo: EDUSP, 1974.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Trad. Márcia Martinez de Aguiar. São Paulo: Martins Fontes, 2010. v.2.

______. Entre tempo e narrativa: concordância/discordância. Trad. João Batista Botton. Kriterion, Belo Horizonte, n. 125, p. 299-310, jun./2012.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

______. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1982.

ROSENFIELD, Anatol. Reflexão sobre o romance moderno. In: Texto e Contexto I. São Paulo: Perspectiva, 2006, p. 75-97.

SALLENAVE, Danièle. Sobre o monólogo interior: leitura de uma teoria. In: HAMON, Philippe et alii. Categorias da narrativa. Trad. Fernando Martins. Lisboa: Arcádia, 1976, p. 113-137.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.