O Colégio de Aplicação da UFPE no olhar dos seus estudantes: o espaço físico escolar como ambiente de relações sociais

Erinaldo Ferreira do Carmo, Taísi Rosa Rodrigues Oliveria Lessa

Resumo


Este artigo de iniciação científica apresenta considerações acerca dos resultados de uma pesquisa do Programa de Iniciação Científica do Ensino Médio – PIBIC-EM, realizada no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco no ano de 2016. Aqui procuramos identificar as relações sociais que ocorrem no espaço escolar e a importância da estrutura física da escola como elemento de influência sobre essas relações. O aporte teórico funda-se, basicamente, no pensamento antropológico de Signorelli (1980), na visão pedagógica de Gonçalves (2011) e na abordagem urbanística de Alexander (1978) e Kowaltowski (2011). Apresentamos a percepção dos estudantes sobre os ambientes relacionais utilizados no Colégio e debatemos como o espaço físico pode influir no desempenho desses estudantes, afetando direta e indiretamente suas ações afetivas, comportamentais e cognitivas.


Texto completo:

297-309

Referências


ALEXANDER, C. et al. Urbanismo y participación: el caso dela Universidad de Oregón. Barcelona: Gustavo Gilli, 1978.

CONH, G. Weber: Sociologia. São Paulo: Ática, 1997.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 2012.

FRAGO, A.; ESCOLANO, A. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

FUNARI, P.; ZARANKIN, A. Cultura material escolar: o papel da arquitetura. Pro-Posições. v. 16. n. 1. abr. 2005.

GONÇALVES, R. Arquitetura flexível e pedagogia ativa: um (des)encontro nas escolas de espaços abertos. Universidade de Lisboa, Instituto de educação, 2011.

KOWALTOWSKI, D. Arquitetura escolar: o projeto do ambiente de ensino. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

SIGNORELLI, A. Integración, consenso, domínio: espacio y vivienda en una perspectiva antropológica. In: PIGNATELLI, P. Análisis y Diseño de el Espacio que Habitamos. México: Concepto, 1980.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

VEIGA, F. et al. Agentes de socialização da violência e vitimização escolar. In: CALDEIRA, S; VEIGA, F. Intervir em Situações de Indisciplina, Violência e Conflito. Lisboa: Fim de Século, 2011.

WEBER, M. Economia e Sociedade. Brasília: UnB, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica - ISSN: 2447-6943

Indexadores: